Tipos de aprendizagem: conheças os 7 existentes e identifique o seu

tipos de aprendizagem
6 minutos para ler

Adaptar-se à rotina de estudos da faculdade é apenas um dos desafios enfrentados por quem está iniciando essa nova fase da vida. Para superá-lo, é necessário desenvolver estratégias que ajudem a absorver os conteúdos — algo que pode mudar de pessoa para pessoa, uma vez que existem vários tipos de aprendizagem.

O conceito dos tipos de aprendizagem, também conhecido como teoria das inteligências múltiplas, indica que cada indivíduo tem um jeito próprio de aprender. Por isso, o autoconhecimento faz toda a diferença na hora de perceber quais são as técnicas de estudo que mais combinam com o seu perfil.

Para ajudar você a compreender melhor esse assunto, preparamos uma lista com os 7 principais tipos de aprendizagem. Então, continue lendo para descobrir com qual deles você mais se identifica e como pode explorá-lo a seu favor ao longo da graduação!

1. Espacial

Nessa aprendizagem, os estímulos visuais são fundamentais para a absorção dos conteúdos. Pessoas com esse tipo de inteligência conseguem reconhecer e localizar formas e objetos, além de projetar imagens mentais. Logo, também podem assimilar dados e termos com facilidade, desde que haja algum estímulo visual envolvido.

Assim, uma técnica de estudo eficiente é tomar notas durante as aulas, pois o ato da escrita serve para estimular a visão. Gráficos, slides e ilustrações também são muito úteis. Na hora de revisar a matéria, vale a pena elaborar resumos e esquemas que ajudem a criar uma imagem mental do conteúdo.

2. Físico-cinestésica

Essa é uma aprendizagem que está diretamente ligada à atividade corporal do indivíduo, ou seja, seus movimentos e sensações enquanto uma ação é executada. Isso significa que o aprendizado ocorre com a prática, como acontece com dançarinos, atletas e até mesmo estudantes da área da saúde, que aprendem a manipular instrumentos médicos e realizar exames físicos nos pacientes.

Para quem se identifica com isso, o caminho é colocar a mão na massa tanto quanto for possível. Em vez de se limitar a somente ler os conteúdos, é interessante fazer experimentos, ainda que sejam caseiros — com toda a segurança, é claro —, e atividades em campo.

3. Interpessoal

Entre os tipos de aprendizagem, esse chama a atenção pela característica de não depender apenas de um indivíduo para acontecer, mas sim de um grupo. A inteligência interpessoal tem a ver justamente com a interação com outras pessoas, isto é, a habilidade de lidar com elas, entendendo suas intenções e aspirações.

Uma vez que estudantes assim tendem a se sair bem em interações sociais, esse é um bom motivo para apostar nas atividades em grupo. Além dos trabalhos em equipe solicitados pelos professores, é bom formar grupos de estudo para ajudar uns aos outros, tirando dúvidas e debatendo os conteúdos. Desse modo, o momento de estudo será muito mais produtivo e prazeroso.

4. Intrapessoal

Enquanto algumas pessoas têm facilidade para atividades em grupo, outras têm mais dificuldades com esse formato. No entanto, também conseguem compreender bem os outros, só que usam essa aptidão de forma mais reservada. Ao mesmo tempo, apresentam uma notável compreensão de si próprios e uma capacidade de direcionar esse conhecimento para alcançar seus objetivos.

Estudantes com inclinação para esse tipo de aprendizagem se saem melhor em atividades individuais. Dessa forma, os momentos de estudos são aproveitados com mais eficiência, já que podem focar nas próprias dificuldades e metas. Nesse caso, grupos de estudos não são tão produtivos quanto na aprendizagem interpessoal.

5. Linguística

A aprendizagem linguística proporciona ao indivíduo uma maior inclinação para se expressar tanto na língua falada quanto na escrita, bem como para aprender outros idiomas. Pessoas com essa aptidão conseguem se comunicar com facilidade, articulando ideias e transmitindo-as por meio de palavras, como ocorre com escritores, jornalistas e demais profissionais da área da Comunicação.

Para se beneficiar dessa habilidade nos estudos, uma técnica recomendada é ler os conteúdos, explicando cada assunto em voz alta para si mesmo ou também para outros colegas. Escrever sobre os temas estudados, elaborando resumos e resenhas, por exemplo, é mais uma estratégia que funciona muito bem.

6. Lógico-matemática

Esse é um dos tipos de aprendizagem encontrados em quem segue carreira na área das Ciências Exatas, como os engenheiros, matemáticos e físicos. Isso porque ela se caracteriza pela grande facilidade para lidar com os números e pela presença do raciocínio lógico, por meio do qual é possível identificar padrões e, assim, encontrar a solução de problemas.

Por isso, pessoas que apresentam esse tipo de inteligência podem incluir nos estudos desafios que exijam resoluções de problemas, deduções lógicas e organização. A necessidade de buscar explicações racionais e impessoais é algo que estimula bastante a mente dos estudantes, ajudando a assimilar melhor os conteúdos.

7. Musical

A inteligência musical, típica dos músicos e poetas, é a aptidão para produzir, apreciar e absorver melodias e ritmos. Pessoas com essa habilidade têm, ainda, uma audição apurada que é muito útil para compreender textos, especialmente quanto transmitidos de forma verbalizada.

Existem várias maneiras de aproveitar essa aptidão nos estudos, mesmo para quem não está cursando uma graduação ligada à música. Uma delas é utilizar paródias para ajudar a assimilar dados importantes dos conteúdos. Outras possibilidades são ouvir podcasts sobre os assuntos e ler a matéria para si mesmo em voz alta.

Vale a pena lembrar que todo mundo tem um pouco de cada um desses tipos de inteligência, embora um deles se destaque mais. Assim, embora um estudante tenha uma maior facilidade com a aprendizagem linguística, por exemplo, nada impede que também tenha afinidade com a musical, a espacial ou qualquer outra.

A combinação de vários tipos de aprendizagem é o que vai compor o seu jeito particular de absorver os conteúdos. Portanto, procure identificar as técnicas e estratégias que melhor atendem ao seu perfil e aproveite muito bem todas elas. Desse jeito, será muito mais fácil otimizar os estudos e se sair bem na faculdade.

Então, o que achou dos tipos de aprendizagem que listamos aqui? Já conseguiu perceber o que mais combina com a sua forma de estudar? Compartilhe este post nas suas redes sociais e ajude os seus amigos a identificarem os deles também!

Você também pode gostar