Técnicas de estudo: separamos 10 opções para aumentar sua performance

10 minutos para ler

Contar com algumas técnicas de estudo pode ser extremamente eficaz para o estudante que precisa assimilar de forma completa um conteúdo. Desse modo, é necessário que a preparação seja estratégica nesse momento, baseada em métodos que garantem a fixação e a aceleração do processo de aprendizagem.

Portanto, mesmo que você conte com poucas horas diárias ou semanais para estudar, é preferível aplicar uma metodologia que auxilie a aumentar a produtividade e a otimizar o tempo. No entanto, a pessoa deve escolher uma opção que atenda às suas necessidades, considerando a mais adequada para o seu caso.

Continue a leitura do post e conheça 10 técnicas de estudo para que você possa melhorar a sua performance e os seus resultados.

1. Releitura

A prática da releitura é uma forma interessante de memorizar os conhecimentos vistos, pois ela possibilita que o estudante retorne ao conteúdo com um novo olhar e, possivelmente, com novas ideias em mente. Assim, ela pode ser muito mais eficaz do que simplesmente grifar ou sublinhar certas partes de um texto.

A principal dica, no entanto, é fazer a releitura imediatamente depois de ler, quantas vezes você considerar que for necessário. O ideal é que você consiga assimilar todas as informações, fazendo anotações e destacando os trechos mais importantes.

Outro aspecto imprescindível, também, é listar as palavras-chave, a fim de conseguir organizar os principais temas lidos.

Essa é uma boa sugestão para quem segue uma rotina de estudos diária. O que foi aprendido a cada dia de aula pode ser reforçado em casa, com o hábito de ler e reler os assuntos para fixar o conteúdo. Assim, as matérias não são acumuladas e fica mais fácil se preparar para uma avaliação no futuro, por exemplo.

2. Mapas mentais

Elaborar um mapa mental é uma maneira eficiente de resumir as ideias contidas em um determinado conteúdo. A técnica consiste, basicamente, em criar um diagrama com palavras, ícones e flechas, a fim de tornar a visualização mais lógica. Sem contar que, com o método, é possível realizar interconexões e relações de hierarquia.

Em outras palavras, o mapa funciona como um resumo prático dos principais conceitos estudados. Por isso, é importante explorar a criatividade, usar diferentes formas ou cores para chamar a atenção e deixar tudo bem claro. Para aqueles que têm uma memória visual aguçada, vale a pena investir em técnicas de estudo que favoreçam esse aspecto.

Ela também é extremamente vantajosa para o estudante que deseja economizar algumas horas de estudo e consolidar um bom conhecimento sobre os temas vistos.

Porém, o mapa mental não tem o objetivo de fixar os assuntos, mas sim de conseguir associá-los de forma sistêmica. É preciso fazer uma leitura prévia para compreender todo o contexto e, depois, montar uma diagramação que indique como os tópicos estão distribuídos dentro do campo do saber.

3. Estudo intercalado

A metodologia do estudo intercalado propõe que o aluno intercale diferentes assuntos em uma mesma sessão de estudos. Essa é uma das técnicas de estudo mais eficazes para as matérias que exigem raciocínio lógico, como a área de Exatas. Assim, é possível alternar as diferentes disciplinas sem esgotá-las, tornando o aprendizado mais completo e um pouco menos cansativo.

Para que a prática seja ainda mais vantajosa, é preciso que os temas estejam relacionados de alguma forma. Isso facilita, por exemplo, nos casos em que o aluno tem que reter muitas informações para uma prova, pois o método é capaz de estimular a memória de longo prazo.

Outro benefício é trabalhar a interdisciplinaridade, ou seja, a capacidade de conectar duas ou mais áreas do conhecimento — que é uma habilidade valorizada nos dias de hoje.

Baixe nosso material sobre faculdade a distância agora mesmo!Powered by Rock Convert

4. Prática distribuída

Essa é uma das técnicas de estudo que têm a ver com produtividade e gestão de tempo. A prática distribuída nada mais é do que dividir os horários de estudos em vez de ficar um longo período estudando.

Sabe o famoso desespero pré-prova? Muitos estudantes não se dedicam diariamente e deixam para estudar praticamente tudo o que foi aprendido antes de fazer uma avaliação importante. Contudo, essa é uma estratégia de alto risco e pode não render bons frutos.

Além de ter o compromisso de aprender e revisar os assuntos todos os dias, você pode ainda determinar intervalos entre esses momentos. Eles serão úteis para distrair um pouco a cabeça, descansar o corpo, cumprir outros afazeres e favorecer a retomada da concentração.

Por exemplo, um aluno que tem a tarde quase toda livre (desconsiderando atividades eventuais) não precisa sentar na cadeira de estudo e permanecer horas seguidas. Estabelecer algumas pausas pode ser muito mais produtivo do que ficar tentando manter a concentração por tanto tempo.

5. Organização do espaço

Manter a organização do espaço de estudo é mais uma dica fundamental para conquistar um bom desempenho, melhorar a gestão do tempo e evitar a perda de materiais.

Desse modo, o objetivo é estabelecer um ambiente agradável que auxilie o estudante a manter o foco. Isso contribui, principalmente, para diminuir as distrações e para facilitar o gerenciamento das inúmeras técnicas de aprendizagem.

Porém, antes de partir para a organização, é preciso considerar todas as atividades acadêmicas e determinar qual será o tempo reservado para ver cada uma delas. Isso permite elencar prioridades e equilibrar as tarefas, promovendo a produtividade e a melhora da performance geral nos estudos.

Vestibular-onlinePowered by Rock Convert

6. Estudo mnemônico

O nome pode soar estranho para alguns, mas o termo mnemônico é relativo à memória. A intenção dessa técnica de estudo é facilitar a memorização, sendo muito usada para fórmulas, conceitos ou tópicos específicos.

Vale ressaltar que essa é uma particularidade do estudo mnemônico, já que fica difícil criar associações quando o conteúdo não pode ser identificável por palavras-chave.

Para entender como funciona, vamos considerar como exemplo uma fórmula de Física. Para calcular a pressão de líquidos e gases, devemos usar a seguinte equação: P x v = n x R x T, em que:

  • P = pressão;
  • v = volume;
  • n = número de mols;
  • R = constante dos gases perfeitos;
  • T = temperatura.

Mesmo sabendo o que cada letra dessa significa para resolver uma questão, talvez seja complicado memorizar a ordem da fórmula. A solução de alguns estudantes é usar a frase “Por você, nunca Rezei Tanto”.

Se você não é da área das Exatas e quer ver como isso pode funcionar, podemos retomar uma opção conhecida nas aulas de Geografia do Ensino Fundamental para decorar a ordem dos planetas do sistema solar:

  • Minha Vó Tem Muitas Joias, Só Usa No Pescoço” (Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão, que antigamente era considerado planeta).

Uma adaptação poderia ser “Minha vó tem muitas joias, só usa novas”, para acabar em Netuno.

7. Flashcards

Os flashcards consistem em ferramentas alternativas para quem precisa desenvolver a memorização sobre determinados assuntos. Eles são pequenos cartões em que se relacionam os conceitos estudados, geralmente contendo um sistema de perguntas e respostas sobre o conteúdo abordado.

Dessa forma, facilitam a revisão das informações que foram aprendidas, de modo que o indivíduo consiga praticar a técnica da repetição espaçada. Isso colabora para o aumento do rendimento escolar e também para poupar tempo de estudo.

Para montá-los, o estudante pode utilizar cartolinas e inserir, em cada lado do papel, uma palavra-chave e uma resposta.

8. Teste prático

Fazer testes práticos sobre o que você está estudando também é eficiente para o processo de aprendizagem. Os testes consistem em simular uma prova, preparando o aluno para lidar com momento das avaliações. Portanto, é interessante realizar o máximo de exercícios possíveis, a fim de que o conteúdo seja assimilado.

Ao optar pelo teste prático, é válido que você refaça as questões que ficou com dúvida ou as que errou a resposta, analisando a solução e verificando se realmente entendeu o assunto. Outras técnicas de estudo nem sempre oferecem esse benefício, pois o estudante não se depara com as suas dificuldades antes de passar pela prova.

Para completar, vale fazer anotações e reler todas elas de tempos em tempos para facilitar que a mente conecte os novos conhecimentos a aprendizados passados.

9. Autoexplicação

Esse método é muito útil para os conteúdos mais abstratos, que exigem uma capacidade de compreensão um pouco maior.

Na prática, a autoexplicação tem o objetivo de que a pessoa leia o tema e consiga explicá-lo com as suas próprias palavras — diante de um espelho, de alguma outra pessoa ou mesmo se estiver sozinho e sem nenhum recurso.

Entretanto, a estratégia é mais efetiva quando realizada no mesmo período do estudo, enquanto o assunto ainda está “fresco” na memória.

Aliás, essa é uma das técnicas de estudo que podem contribuir para melhorar a aprendizagem em uma série de tarefas e seus domínios de saber, capacitando o indivíduo a lidar com possíveis perguntas ou dúvidas relativas à área do conhecimento em questão. É capaz ainda de ajudar a promover a habilidade de comunicação e oratória.

10. Resumos

O resumo é uma forma reduzida de informação, ou seja, ele condensa as ideias ou os fatos contidos em um texto enxuto. Ao realizar a prática, o estudante deve elaborar os principais conceitos estudados com suas próprias palavras. É preciso destacar, no entanto, que o resumo é um trabalho de extração que contém a síntese dos temas aprendidos.

Para aplicar a estratégia, é interessante exprimir de maneira objetiva os elementos mais essenciais do texto, evitando comentários ou julgamentos sobre o que está sendo abordado. Para isso, deve-se realizar algumas anotações contendo o significado das palavras de difícil compreensão, facilitando, inclusive, uma posterior releitura.

Agora que você já conhece algumas das principais técnicas de estudo, certamente será muito mais simples organizar o seu tempo para aplicar os métodos, não é mesmo?

Para conseguir os melhores resultados, considere sempre as suas necessidades e preferências, pois existem metodologias que funcionam melhor com determinados tipos de conhecimento. Por fim, lembre-se de que é preciso contar com uma boa dose de disciplina para que os seus planos se realizem!

Gostou de conhecer essas técnicas de estudo? Então, aproveite a visita e veja também 6 dicas que vão ajudar você a fazer trabalho em grupo da melhor forma.

Você também pode gostar