6 dicas para conseguir elaborar uma rotina de estudos eficiente

rotina de estudos: homem negro escrevendo em folha de papel A4 com caneta transparente
6 minutos para ler

Ter uma rotina de estudos eficiente faz com que estudar em casa seja muito mais fácil e produtivo. Com organização e disciplina, você sabe exatamente o que e quando estudar, evitando a procrastinação, a ansiedade e o estresse, especialmente em vésperas de provas.

É importante ter uma boa preparação para fixar os conteúdos e se preparar para alcançar os seus objetivos — como uma vaga na faculdade. Além disso, quando você estuda com frequência, fica mais tranquilo e confiante com relação ao conhecimento adquirido.

Pensando nisso, preparamos este artigo para você saber como estabelecer uma rotina de estudos, otimizar o seu tempo e garantir um preparo eficiente. Boa leitura!

1. Estabeleça seu objetivo

Ter um objetivo é o que nos impulsiona a buscar novos desafios. É por isso que estabelecer metas é o primeiro passo para ter uma rotina de estudos eficiente. Se você deseja passar no vestibular, por exemplo, escreva isso no seu cronograma.

Coloque também os benefícios que essa ação vai trazer para a sua vida. Dessa forma, você sempre lembrará os motivos pelos quais está estudando com tanto empenho. Além disso, essa etapa não exige muito tempo nem esforço, e é extremamente útil para os momentos em que você estiver desanimado e pensando em desistir.

2. Crie um cronograma

Antes de criar seu cronograma de estudos, analise a sua rotina. Para isso, considere os seguintes pontos:

  • Você já trabalha?
  • Vai fazer cursinho ou estudar por conta própria?
  • Quais são as demais atividades que exigem o seu tempo?

Conhecer bem todas as tarefas que desempenha no dia a dia é importante para se organizar com eficiência. Você pode usar um calendário para visualizar todas as suas obrigações e facilitar o processo. Assim, é possível saber exatamente quantas horas por dia poderá se dedicar aos estudos.

Depois, é hora de listar as disciplinas que você precisa estudar. Tente intercalar as matérias com as quais você tem mais facilidade com as que exigem um esforço maior — o objetivo é que a tarefa não fique cansativa. Depois, defina intervalos para começar e terminar de estudar cada uma delas.

Quando for colocar o planejamento em prática, não deixe de seguir o cronograma à risca. Isso é muito importante para que você se mantenha motivado, perceba uma evolução e não desista da rotina de estudos previamente estabelecida.

3. Utilize a curva 24 horas

Sabe aquela sensação de que não importa o quanto você estuda, sempre esquece tudo o que aprendeu na semana passada? Esse sentimento é muito comum! Para evitar esse problema, existe uma técnica de estudo que ajuda a manter o conteúdo fixo na memória, também conhecida como curva do esquecimento.

Nesse método, é necessário estabelecer três revisões para cada assunto estudado:

  • nas primeiras 24 horas após os estudos, para cada hora de leitura, faça uma revisão de 10 minutos. É importante que ela seja feita nesse espaço de tempo, pois é o período em que mais esquecemos as informações e isso será suficiente para manter a sua memória. Para facilitar o processo, você pode utilizar resumos, palavras-chave, entre outras técnicas;
  • uma semana após a etapa inicial de estudo, dedique apenas 5 minutos para relembrar o conteúdo aprendido;
  • ao final de 30 dias, revise o assunto durante 2 a 4 minutos. Parece pouco, mas esse tempo deverá ser o suficiente para você se lembrar do que estudou.

4. Organize o seu espaço de estudos

Ter um local adequado para estudar é fundamental para conseguir o máximo de eficiência em sua rotina de estudos. Um ambiente cheio de livros e anotações pode até parecer estimulante, mas, na verdade, tende a dificultar a concentração.

Com isso, a sua produtividade diminui por conta de fatores aleatórios que, normalmente, vão tirar o seu foco e estimular a procrastinação. Por isso, escolha um cômodo na sua casa que tenha as seguintes características:

  • seja limpo e organizado;
  • tenha iluminação adequada e boa circulação de ar;
  • conte com o mínimo de interferências visuais e sonoras.

Se optar pelo seu próprio quarto, evite estudar na cama, pois o excesso de conforto pode favorecer o sono e impedir o seu desenvolvimento.

5. Faça pausas

Muitos estudantes cometem um erro comum e não percebem: estudar muitas horas seguidas sem fazer intervalos. Ao contrário do que você possa acreditar, não é a quantidade de tempo que interessa, mas sim a qualidade dele.

Isso significa que passar duas, três ou mais horas ininterruptas estudando não vai ajudá-lo a entender e absorver mais a matéria. Pelo contrário, essa prática pode, inclusive, levar a episódios de fadiga mental. Além disso, você tende a ficar mais ansioso e perder a capacidade de se concentrar.

Por esse motivo, não deixe de inserir pequenas pausas no seu cronograma de estudos. Aproveite esse tempo para relaxar, caminhar, se hidratar, alongar, conferir o celular, comer algo ou simplesmente não fazer nada. Pode ter certeza que, quando você voltar aos estudos, a sua produtividade será muito maior!

6. Mude a fonte do aprendizado

Essa é uma dica muito útil e que você deve colocar em prática. A ideia é diversificar a fonte de estudo e a razão é simples: embora para algumas pessoas apenas utilizar cadernos, livros, apostilas e anotações seja o suficiente para aprender todos os conteúdos, alguns podem achar esse hábito repetitivo e até maçante.

Isso ocorre principalmente quando o estudante já tem um dia a dia muito cansativo e cheio de obrigações. Se esse for o seu caso, você não só pode, como deve, buscar outras maneiras de se aprofundar em um determinado assunto. Para isso, busque materiais que proporcionem estímulos diferentes. 

Isso significa que, se hoje você se dedicou à leitura, amanhã é interessante fazer exercícios ou assistir a um filme que aborde o conteúdo lido. Outra opção é buscar vídeos no YouTube, participar de palestras, workshops e oficinas, entre outras ações. Dessa forma, você fica ainda mais motivado.

No momento de definir a sua rotina de estudos, lembre-se de que a falta de horário para cada atividade acostuma o cérebro a receber muitos estímulos ao mesmo tempo. Com isso, você se distrai com mais facilidade e não se aprofunda nos temas que está estudando.

Gostou das dicas? Então, não deixe de assinar a nossa newsletter para receber outros conteúdos sobre educação diretamente no seu e-mail!

Você também pode gostar