Descubra quanto ganha um advogado e opte por essa graduação

quanto ganha um advogado
8 minutos para ler

O retorno financeiro é um critério importante para a escolha do curso superior, mesmo que não seja o único. Por isso, saber quanto ganha um advogado ajudará você a entender se a faculdade realmente está dentro das suas expectativas.

Nesse sentido, é preciso considerar não apenas a remuneração geral dos profissionais, mas a variação existente entre as advocacias. Além disso, existe uma diferença considerável entre trabalhar para pequenas ou grandes organizações.

Logo abaixo, reunimos as principais informações sobre o mercado jurídico e os ganhos dos advogados. Continue a leitura para entender o retorno financeiro da faculdade de Direito, com bases em dados e pesquisas sobre o tema.

O mercado para o profissional do Direito

O Direito passa por um momento de transformação nas práticas e nos métodos de trabalho com o surgimento de soluções digitais. Hoje, é comum falar em startups — negócios baseados em tecnologia e que podem crescer rapidamente sem grandes acréscimos de custos — próprias do meio jurídico.

As lawtechs, nesse sentido, são responsáveis por otimizar a rotina dos profissionais com softwares para realizar a gestão de processos, identificar decisões judiciais de casos anteriores, organizar documentos etc. Já as legaltechs são voltadas para os destinatários dos serviços jurídicos, como busca por advogados, atendimento online e conciliação digital.

Ademais, com o alcance das redes sociais, os profissionais contam com o marketing digital para encontrar novos clientes — o que, junto às indicações chamadas “boca a boca”, tornou-se a principal via para conquistar contratantes. 

As mudanças tecnológicas também alcançaram a qualificação profissional. Além de pós-graduações integralmente online, é comum a graduação oferecer uma parte das matérias via Ensino Digital, principalmente as disciplinas eletivas. Isso traz maior variedade e possibilita que o aluno estude os assuntos específicos do nicho no qual pretende atuar.

É, portanto, um excelente momento para a entrada de novos profissionais, que já vêm com a mente mais aberta para inovação e tecnologia.

Retomada do setor

O Guia Salarial da Robert Half de 2020 traz um importante panorama sobre o mercado. A consultoria de Recursos Humanos avalia que, ao lado da transformação cultural e tecnológica, o segmento seguirá em retomada, com crescimento dos investimentos das empresas no setor jurídico, bem como áreas transacionais (relacionadas à negociação) e empresariais em evidência nos escritórios.

No entanto, a análise também alerta para a importância de mudança do perfil dos profissionais — que devem ser mais consultivos e ter foco nos resultados. O advogado precisa, dentro da área jurídica, encontrar soluções concretas para o cliente e, no caso das empresas, favorecer a estratégia de negócios.

As principais áreas e salários no Direito

Evidentemente, para saber quanto ganha um advogado, precisamos considerar suas diferentes áreas de atuação. O nível de especialização e a experiência do profissional também afetam os salários. Veja a seguir como estão os principais segmentos de mercado!

Advogado trabalhista

O advogado trabalhista atua para empregados, empregadores ou sindicatos, auxiliando as pessoas a resolverem conflitos relacionados aos contratos individuais e às normas de classe ou grupos de trabalhadores. E hoje, o setor vive os reflexos da Reforma Trabalhista. 

Segundo esta plataforma de busca salarial, que realiza pesquisa na base de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), o vencimento médio de um advogado de Direito do Trabalho é de R$ 5.884,25, considerando de março a outubro de 2019.

Por sua vez, a tabela salarial da Robert Half aponta ganhos de R$ 5.600 a R$ 8.250 para advogados plenos com até 25 meses de tempo de serviço, variando de acordo com o porte da empresa. Os juniores ficam entre R$ 3.700 e R$ 5.200.

Advocacia cível

O Direito Civil é provavelmente a área mais ampla. Até por isso, muitos advogados se especializam em algum tema ou derivado dela, como Família, Obrigações, Sucessões, Contratos e Consumidor.

Atualmente, os desafios do setor dizem respeito a construir a justiça de múltiplas portas. Ou seja, cada conflito deve ser encaminhado para o método mais adequado, como processo judicial, arbitragem, conciliação, mediação e negociação.

No guia salarial, os vencimentos para o profissional pleno são de R$ 6.350 a R$ 9.050, segundo os critérios já apontados, enquanto o júnior recebe entre R$ 3.700 e R$ 5.200. A média salarial no CAGED é de R$ 4.228,86.

Planilha de gastosPowered by Rock Convert

Advocacia criminal

Os profissionais de Direito Penal são responsáveis por defender as pessoas acusadas do cometimento de crime. Também lutam pela correção tanto do processo judicial quanto das etapas de investigação.

Os dados sobre salário, nesse caso, apontam para R$ 3.492 de média, considerando as admissões e demissões no CAGED. Vale ressaltar que a área não foi pesquisada no Guia Salarial da Robert Half.

Empresarial 

O advogado de Direito Empresarial ou Comercial acompanha as empresas em todo o seu ciclo de vida. Do surgimento da organização até uma dissolução ou falência, o profissional será o responsável por dar forma legal aos atos e às mudanças do empreendimento.

Os vencimentos são de R$ 6.250 a R$ 9.050 para o profissional pleno e de R$ 4.550 a R$ 5.600 para o júnior, conforme os critérios já mencionados. A base de dados do CAGED registra R$ 4.288,56 de média salarial.

Advocacia em departamentos jurídicos

Também é possível atuar dentro de uma empresa, geralmente em um departamento mais generalista, que concentra as demandas da organização e, sempre que necessário, busca o apoio de especialistas externos.

O advogado pleno de uma empresa ganha de R$ 5.150 a R$ 6.450, enquanto o júnior ganha de R$ 3.450 a R$ 4.100, conforme o Guia Salarial da Robert Half. É importante destacar que, nesse e nos demais casos, existe a possibilidade de crescimento na carreira, sendo júnior e pleno as funções mais comuns.

Advocacia Pública

Por meio da aprovação em concurso público, o profissional do Direito pode exercer a advocacia para União, estados, municípios e Distrito Federal, bem como atuar nas defensorias públicas.

Os salários no setor público costumam superar os R$ 10.000 com facilidade no âmbito federal e estadual. É o caso, por exemplo, do último concurso para Defensor Público do Estado de São Paulo, cujo salário inicial foi de R$ 12.720.

Outras carreiras públicas

Vale ressaltar que a formação em Direito é a que mais abre oportunidades em concursos públicos. A vantagem consiste na quantidade de matérias jurídicas cobradas mesmo em provas para áreas administrativas e fiscais, além dos excelentes vencimentos da área jurídica.

Para que você tenha exemplos de remuneração, podemos citar os cargos de magistrado e promotores de justiça, que, conforme dados do CNJ e do CNMP, respectivamente, costumam ultrapassar R$ 30.000 mensais.

A escolha do curso de Direito

Quem deseja alcançar uma boa remuneração precisa tomar bastante cuidado na escolha do Curso de Direito. Como a advocacia e as demais carreiras jurídicas exigirão o aprendizado contínuo, é preciso construir uma base adequada para ter os instrumentos para caminhar com as próprias pernas e se manter atualizado depois da graduação.

Reconhecimento pelo MEC

A primeira característica importante é verificar se a graduação é reconhecida pelo Ministério da Educação. O órgão também avalia questões como infraestrutura e desempenho no Exame Nacional do Ensino Superior (ENADE), que podem auxiliar na escolha do curso.

Núcleo de prática jurídica

Dentro da infraestrutura, a realização do estágio obrigatório depende da existência de núcleos de prática internos. Neles, os alunos aliam teoria e prática, redigindo peças, atendendo ao público, atuando para obter acordos e realizando o acompanhamento de processos, sempre sob a supervisão de professores.

Parcerias

Também é importante buscar uma faculdade com um relacionamento próximo com empresas, órgãos públicos e intermediadores. As parcerias facilitam o ingresso no mercado de trabalho por meio de estágios facultativos, que, além da importância para o aprendizado, em muitos casos, revertem-se em efetivações após a conclusão do curso.

Preparação para o Exame da Ordem

Por fim, considere o suporte dado ao aluno para realização da prova da OAB. Por ser um requisito para exercer a profissão de advogado, é importante que a instituição de ensino se preocupe com a orientação dos estudantes e ajude na superação desse desafio.

Sendo assim, agora que você já sabe quanto ganha um advogado e quais são as melhores práticas ao escolher a instituição de ensino, una esses conhecimentos e procure uma graduação que possa contribuir na área com a qual você mais se identifica.

Para não errar na hora de escolher a graduação, leia também o nosso guia completo sobre fazer faculdade de Direito!

Você também pode gostar