Como usar a nota do Enem para passar em Medicina?

enem para passar em medicina
12 minutos para ler

Quem se interessa pela carreira médica sabe que o processo seletivo para conseguir uma vaga no Ensino Superior está entre os mais concorridos. Contudo, há algum tempo surgiu a possibilidade de usar a nota do Enem para passar em Medicina.

O Exame Nacional do Ensino Médio passou a ser utilizado como forma de ingresso em vários cursos. Você já conhecia essa oportunidade? Acompanhe a leitura para saber de todos os detalhes relevantes sobre o assunto!

É possível usar a nota do Enem para passar em Medicina? Como fazer?

Sim! Essa é uma boa notícia para os estudantes que desejam ter uma carreira em Medicina, já que quem consegue um bom resultado na prova do Enem pode aproveitar para garantir sua vaga em uma faculdade de Medicina sem precisar passar por outro processo seletivo. Contudo, vale dizer que não são todas as faculdades que permitem esse acesso direto pelo exame.

Entenda mais sobre as opções de ingresso no curso de Medicina com a nota do Enem!

Sisu

Nas faculdades públicas, é preciso se inscrever no Sisu (Sistema de Seleção Unificada), que é o programa do governo que distribui vagas disponíveis no Ensino Superior de acordo com a classificação no Enem.

A chance acontece duas vezes ao ano, para iniciar os estudos no primeiro ou no segundo semestre letivo. Para participar, basta ter feito a última edição do exame e não ter zerado a prova de redação. As inscrições são feitas pelo sistema online do MEC (Ministério da Educação) e, como se pode imaginar, há uma grande concorrência.

Vestibular próprio

Já nas instituições particulares, geralmente não existe tanta burocracia, mas cada faculdade determina os seus métodos e critérios para selecionar os estudantes. Muitas aceitam as notas do Enem para substituir o vestibular, embora isso seja menos comum no caso da graduação em Medicina.

Prouni

Uma alternativa é participar do Prouni (Programa Universidade para Todos), que também é uma iniciativa do Governo Federal. A diferença é que, nessa situação, são distribuídas bolsas de estudos em cursos privados com valor de 50% ou 100% de abatimento da mensalidade.

O processo de inscrição é semelhante ao do Sisu e deve ser feito virtualmente. Só que as condições são um pouco diferentes. O candidato não pode ter outro diploma universitário, precisa de uma média no Enem igual ou superior a 450 pontos (sem ter zerado a redação) e comprovar renda familiar bruta mensal de até 3 salários mínimos. Mais uma vez, a nota de corte é o fator decisivo para a classificação dos beneficiados.

Como funciona a nota de corte do Enem? 

A nota do Enem é calculada com base na média obtida em cada um dos cadernos:

  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias;
  • Matemática e suas Tecnologias;
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias;
  • Ciências Humanas e suas Tecnologias;
  • Redação.

A média do Enem pode ser do tipo simples, onde é somada a pontuação dos 5 componentes e dividido o resultado por 5. Também pode ser ponderada, em que os pontos das provas com conteúdos mais relevantes para Medicina, como Ciências da Natureza e Redação, têm peso maior na nota final.

Vale lembrar que o Enem usa a Teoria da Resposta ao Item (TRI) para definir a nota em cada um dos cadernos. Isso significa que não é a quantidade de acertos que implica em sua pontuação final, mas diversos critérios que avaliam as chances de o acerto ter sido por chute, como nível de dificuldade das questões e número de pessoas que pontuaram a mesma pergunta.

Qual a nota de corte do Enem para passar em Medicina?

Outro ponto muito importante é que a disputa continua sendo acirrada, mesmo que seja oferecida essa oportunidade. Como o curso de Medicina é o mais concorrido, naturalmente a nota de corte é bastante alta.

Isso significa que a nota mínima necessária para ser aprovado costuma ser maior do que para conseguir uma vaga em outros cursos. Esse valor está relacionado com a média de desempenho dos outros candidatos e com o número de vagas de estudo disponibilizado pelas instuições de ensino.

Sendo assim, é normal que as notas de corte variem entre uma e outra — por exemplo, uma universidade pública pode ser mais disputada e exigir uma pontuação maior do que uma instituição de ensino privada.

Por isso, não é possível dizer exatamente qual a nota necessária para passar em Medicina, sem contar que, a cada edição do Enem, esse valor varia um pouco — lembra da questão da performance geral dos estudantes?

Normalmente, a nota mínima gira em torno de 800 pontos. No entanto, é claro que ultrapassar esse número aumenta as chances, inclusive de poder escolher entre mais de uma instituição. Para se ter uma ideia, existem cursos em que a nota de corte é de mais ou menos 600 pontos.

Como calcular a nota que eu preciso tirar no Enem para passar em Medicina?

Como foi dito, a nota de corte varia todos os anos. Sendo assim, fica difícil calcular com antecedência qual será o valor necessário para conseguir a sua vaga.

As referências dos anos anteriores ajudam a ter um parâmetro. Por exemplo, as notas de corte do Sisu em 2021 para Medicina variam entre 769 e 901 pontos. A sua meta então vai depender de aspectos como:

  • a faculdade que você pretende passar (se é pública ou privada, número de vagas e demanda);
  • o peso das suas notas em cada prova para o curso de Medicina;
  • a localização do campus (existem regiões que são mais concorridas);
  • o turno da graduação;
  • o período de ingresso (no primeiro ou segundo semestre).

Outro fator que pode gerar uma variação é a modalidade em que cada candidato está concorrendo. A ampla concorrência exige notas maiores e quem tem direito ao sistema de cotas consegue entrar com uma nota um pouco mais baixa.

De qualquer forma, só dá para saber o resultado quando todas as notas são divulgadas. Ou seja, ao escolher Medicina, a solução é mesmo se dedicar intensamente aos estudos para aumentar o máximo possível a sua probabilidade de ser aprovado.

Como escolher as universidades que combinam com meus objetivos?

Segundo dados do Conselho Federal de Medicina, no estudo Demografia Médica de 2020, existem 357 escolas da área hoje no Brasil, o que significa que os candidatos normalmente têm uma boa variedade de opções. Na verdade, outros critérios acabam influenciando essa decisão, como a preferência por uma instituição ou a disponibilidade de estudar em regiões mais distantes, por exemplo.

Apesar dessas questões, é importante que o estudante escolha uma formação de qualidade na sua preparação para o mercado. Você pode analisar pontos específicos, como a grade curricular, a experiência dos professores e a infraestrutura para o aprendizado.

O curso de Medicina na Estácio, por exemplo, oferece vários diferenciais, como:

  • corpo docente formado por mestres e doutores;
  • orientação de carreira e um portal de vagas exclusivo para os alunos;
  • laboratórios bem equipados e modernos;
  • metodologia inovadora e atualizada com as demandas do mercado;
  • parcerias com direito a descontos em vários estabelecimentos.

Quais são as outras opções de curso dentro da área da saúde?

Se você quer estudar Medicina pelo desejo de contribuir para o bem-estar de outras pessoas, saiba que é possível conquistar esse objetivo mesmo fazendo outros cursos.

Profissões relacionadas à área de saúde têm tanto reconhecimento e vantagens quanto a de um médico. Apostar em cursos que também abordam conteúdos relacionados à saúde, porém, com menos procura, é uma maneira mais fácil de ingressar no Ensino Superior, pois a nota de corte costuma ser mais baixa.

Por isso, a seguir, separamos outras opções de graduação dentro da área da saúde que são menos concorridas nos vestibulares. Dê uma olhada.

Enfermagem

Enfermagem é a profissão dedicada aos cuidados com a recuperação dos pacientes dentro de instituições como clínicas, hospitais e ambulatórios. Seguir nessa área é uma forma de conseguir tanto desenvolvimento profissional quanto pessoal.

Essa é uma das profissões mais fundamentais dentro da área da saúde e tem diversas possibilidades de especialização. Desse modo, se você procura uma carreira com flexibilidade de horários, versatilidade de opções e oportunidades no mercado de trabalho, a Enfermagem é uma boa escolha.

Fisioterapia

A área da Fisioterapia está mais relacionada com os membros que geram o movimento do corpo. Assim, o profissional trabalha para melhorar o bem-estar, no alívio de dores fisiológicas e na promoção da coordenação motora do paciente.

Essa profissão também tem diversas opções de especialização, podendo trabalhar em diversas instituições de saúde, nos mais variados setores, ou até mesmo abrir o próprio consultório.

Biomedicina

Agora, se você se interessa pelo lado científico da Medicina, a Biomedicina pode ser a opção ideal. As disciplinas teóricas dos cursos têm uma certa semelhança, porém, nesse caso, não oferecem o conteúdo prático de atendimento aos pacientes.

O biomédico atua em laboratórios, principalmente na área de análises clínicas, e também pode se dedicar à pesquisa acadêmica. Sem falar que essa é uma área de grande crescimento no Brasil, sendo possível ter boas perspectivas de desenvolvimento de carreira.

Farmácia

A Farmácia também é um curso mais voltado para a pesquisa. O profissional dessa área se dedica aos estudos de medicamentos, cosméticos, análises clínicas, controle de alimentos, entre outros setores.

O mercado de trabalho nessa profissão é bem amplo, com inúmeras oportunidades de carreira e bons salários. O profissional formado em Farmácia pode atuar em indústrias, hospitais, órgãos de saúde pública, laboratórios e também na área acadêmica, fazendo pesquisa e gerando conhecimento.

Odontologia

Se você sempre se interessou pela parte clínica ou cirúrgica da Medicina, assim como pelo atendimento aos pacientes, ainda é possível ter essa experiência na carreira, mesmo seguindo outro curso. Fazer Odontologia é uma maneira de tratar doenças e ajudar diversas pessoas, mas com o trabalho voltado para a promoção da saúde bucal.

O que fazer se não conseguir a nota mínima?

Muitos alunos se dedicam intensamente nos estudos para passar em Medicina, mas nem todos conseguem a aprovação de primeira. Portanto, caso você se sinta triste por não ter conseguido a nota mínima, saiba que existem diversas alternativas para seguir nesse momento. Confira algumas delas!

Não se desespere

O primeiro passo é não se desesperar. Ter em mente que uma carreira não é feita da noite para o dia é fundamental para não se comparar com as outras pessoas, nem sentir que está ficando para trás.

Por isso, lembre-se de que você se dedicou o máximo que pôde e sempre tenha em mente o quão concorrido é o vestibular de Medicina, com notas de corte extremamente altas. Sendo assim, não ache que a culpa de não ter conseguido a aprovação seja sua.

Continue estudando

Outra opção é seguir com os estudos. Afinal, adquirir conhecimento nunca é um desperdício. Portanto, quanto mais você se dedicar ao aprendizado, mais oportunidades aparecerão em seu caminho por conta disso.

Vale a pena também tirar um descanso do estudo pré-vestibular para recuperar a energia. Sabe aquele assunto sobre o qual você sempre quis saber, mas deixou para ver depois que passassem as provas? Essa é uma boa hora de procurá-lo, mantendo o ritmo de estudos e, ao mesmo tempo, tirando um tempo dos mesmos conteúdos do Ensino Médio.

Tente novamente no ano seguinte

O vestibular acontece todo ano. Por isso, se você não conseguiu dessa vez, continue estudando e tente novamente na próxima edição do Enem. Tente ver que essa edição de vestibular que você participou foi uma ótima experiência adquirida.

Com base nela, foi possível conhecer melhor a estrutura do exame na prática. A partir disso, você pode reestruturar o seu plano de estudos e traçar novas estratégias para melhorar o seu desempenho para o ano seguinte.

Busque outras opções

Existem também, além de outras opções de carreira, alternativas para facilitar o ingresso no curso de Medicina. Existem faculdades particulares que aceitam apenas a nota do Enem, outras aproveitam a pontuação obtida no vestibular próprio e algumas ainda selecionam novos alunos com essas duas notas.

Assim, por terem uma menor quantidade de participantes, a concorrência diminui e a nota de corte é menor. Portanto, a aprovação pode vir de forma mais rápida ao optar por outras oportunidades.

Enfim, usar o Enem para passar em Medicina é sim algo possível e que deve fazer parte das perspectivas de quem está buscando uma vaga para se formar como médico. Aliás, buscar todo tipo de informação é uma atitude essencial para quem está passando por essa fase. Então fique sempre atento e se esforce ao máximo na preparação para o exame!

Já pensou em fazer um vestibular agendado? A Estácio permite ingresso tanto pelo Enem quanto pela nota da prova aplicada na própria instituição. Entre em contato com a gente e saiba mais sobre os nossos processos de seleção e nossos cursos da área da saúde!

CARREIRAS DA SAÚDE
Você também pode gostar

Deixe um comentário