Listamos 15 áreas da Medicina que você pode se especializar após o curso

Áreas da medicina
12 minutos para ler

A profissão de médico é uma das que mais se destacam na área da saúde. Extremamente necessária para a sociedade, ela costuma atrair pessoas que esperam ter a chance de salvar vidas e, ao mesmo tempo, construir uma carreira de sucesso em uma das muitas áreas da Medicina.

A graduação em Medicina, que tem duração de 6 anos, é apenas o primeiro passo dessa profissão, que exige atualização constante. Desse modo, fazer uma especialização após o curso — a chamada residência médica — acaba sendo uma decisão natural. Mas como escolher uma área para seguir? O primeiro passo é conhecer as opções que você tem ao seu dispor.

Pensando nisso, preparamos uma lista com 15 áreas da Medicina em que você vai poder se especializar se fizer essa faculdade tão importante e promissora. Confira!

1. Angiologia

Essa é a especialidade médica que cuida do sistema vascular, isto é, do conjunto formado por veias, artérias e vasos linfáticos. Esse profissional diagnostica e trata doenças vasculares, como varizes, vasculite, arteriosclerose, aneurisma arterial, trombose venosa profunda e insuficiência vascular cerebral.

Além de realizar a avaliação clínica e física dos pacientes, o angiologista costuma solicitar exames como a ultrassonografia, a angiorressonância e a angiotomografia. Assim, consegue obter informações detalhadas sobre o sistema circulatório do paciente, diagnosticando doenças diversas, as quais podem ser tratadas com hábitos mais saudáveis, medicamentos ou cirurgia.

2. Cardiologia

Uma das áreas da Medicina mais conhecidas, a Cardiologia se dedica ao cuidado de um dos principais órgãos do corpo humano: o coração. A especialidade é bastante procurada e valorizada, uma vez que as doenças cardíacas são muito comuns e, se não forem tratadas adequadamente, podem levar ao óbito do paciente.

Para que os tratamentos sejam mais eficazes, uma das responsabilidades do médico cardiologista é incentivar a adoção de hábitos saudáveis, o que inclui mudanças na alimentação e a prática de exercícios físicos. Afinal, isso tem influência direta na saúde do coração.

3. Cirurgia Plástica

A procura por essa especialidade aumenta a cada ano no Brasil, o que faz com que a carreira nessa área da Medicina seja muito promissora. Alguns dos procedimentos mais populares entre os pacientes são o aumento das mamas, a lipoaspiração e a rinoplastia, que é a cirurgia do nariz.

No entanto, não pense que essa área é dedicada apenas à busca por um ideal de beleza. Além das cirurgias estéticas, existem as cirurgias reparadoras, que são voltadas para a melhoria da qualidade de vida. Vítimas de acidentes, pessoas que sofreram queimaduras graves ou que nasceram com lábio leporino são alguns exemplos de pacientes que se beneficiam desse tipo de intervenção.

4. Dermatologia

Voltada para o diagnóstico e tratamento das doenças de pele, a Dermatologia é uma das áreas da Medicina mais populares. Especialmente em um país como o nosso, onde a exposição prolongada ao sol é algo comum, o dermatologista acaba sendo muito procurado para cuidar de problemas cutâneos.

Esse profissional trata desde mazelas mais simples, como alergias e acne, até as mais complexas, como é o caso da hanseníase e do câncer de pele. Depois de se especializar em Dermatologia, é possível ir além e se aprofundar em uma das suas subáreas — Dermatologia Cosmética e Cirurgia Dermatológica são algumas opções.

5. Genética Médica

Essa é uma especialidade relativamente nova, que surgiu à medida que os avanços da ciência passaram a permitir o estudo de doenças genéticas e raras. Em seu cotidiano, o médico geneticista lida com problemas neurológicos, defeitos congênitos e doenças degenerativas, entre outras ocorrências de origem genética.

Assim, a área é muito desafiadora, uma vez que essas doenças não costumam ter cura e, frequentemente, os tratamentos são raros e/ou muito caros. Por ser um ramo em constante evolução, a Genética Médica pode ser considerada uma das profissões do futuro na área da saúde.

6. Gerontologia

A Gerontologia é a especialidade médica que volta a atenção para o bem-estar do público idoso. Com o aumento da expectativa de vida no Brasil, os cuidados com a saúde e as necessidades da terceira idade também cresceram. Dessa maneira, a área da Medicina que estuda as questões biológicas e psicossociais dessa faixa etária também recebe destaque.

O envelhecimento é um processo natural do corpo, e, com ele, diversos mecanismos do organismo passam a se alterar. Na terceira idade, é comum que as pessoas apresentem algumas condições de saúde ou doenças pouco comuns entre o público jovem.

O profissional da Gerontologia é o responsável por proporcionar medidas para garantir mais bem-estar e qualidade de vida ao longo do processo de envelhecimento, a fim de que ele seja sempre saudável.

Isso é feito por meio de diagnósticos cada vez mais precoces, da prevenção de patologias comuns e do atendimento humanizado. Ainda, essa área enfatiza a importância de ressignificar a imagem da terceira idade na sociedade, para não propagar a ideia de que todos os idosos são incapazes e sem autonomia, respeitando a individualidade de cada paciente.

7. Gestão Hospitalar

O profissional da Medicina também pode atuar no processo administrativo de instituições de saúde. É disso que a área de Gestão Hospitalar trata. Essa especialidade cuida da tomada de decisões importantes, que se relacionam com o direcionamento de ações dos diversos setores que compõem uma organização.

Dentre as principais funções do médico que atua na Gestão Hospitalar, estão a liderança de equipes, o planejamento e o controle administrativo, a solução de problemas nos setores e a integração de times multidisciplinares.

8. Infectologia

Uma doença infecciosa é causada por microrganismos que entram em contato com o nosso corpo, como algumas espécies de bactérias, fungos e vírus. O infectologista é o profissional responsável pelo diagnóstico e tratamento dessas patologias.

Essa área da Medicina estuda questões relacionadas às regiões geográficas — por exemplo, zonas tropicais são mais afetadas por doenças como a dengue —, infecções hospitalares, ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis) e reações do sistema imunológico, entre outras.

Após o início da pandemia de Covid-19, a Infectologia recebeu um maior destaque, devido à necessidade do combate ao novo coronavírus. Com ela, surgiram novos desafios para os médicos que atuam nessa área, por essa ser uma doença propagada pelo vírus Sars-Cov-2 e por ainda não se compreender tão bem como esse agente age sistemicamente no organismo humano.

9. Medicina Esportiva

A Medicina Esportiva tem como propósito a prevenção, o diagnóstico e o tratamento de doenças relacionadas ao esforço físico durante uma atividade. Uma de suas atribuições são os cuidados com os atletas, que são profissionais de uma alta performance física, a fim de evitar acidentes, lesões ou concussões.

O trabalho do médico esportivo não para por aí. Outra de suas funções é a indicação de atividades físicas e o acompanhamento do desempenho do paciente, sendo ele atleta ou não.

Tendo em vista que diversas comorbidades crônicas, como o diabetes, a obesidade e a hipertensão arterial, são provocadas pelo sedentarismo, uma das melhores práticas de prevenção é a atividade física regular. Cabe ao profissional da Medicina Esportiva fazer a orientação de exercícios para que o paciente possa regular o bem-estar com hábitos mais saudáveis e evitar problemas mais sérios.

10. Medicina Nuclear

A radiação pode ser utilizada de forma segura e não invasiva para diversos procedimentos médicos, como a realização de exames de imagem, tratamentos e cirurgias. No entanto, para isso, é preciso ter um conjunto de profissionais aptos a utilizar esses aparelhos de forma correta. A Medicina Nuclear é a especialidade que lida com essas técnicas.

O profissional que atua nessa área da Medicina se responsabiliza por utilizar as quantidades mínimas e eficazes de radiação para tratar os pacientes, devolvendo o bem-estar e a qualidade de vida a partir do tratamento de diversas doenças.

11. Oncologia

A Oncologia é a área voltada para o diagnóstico e tratamento do câncer. Como essa é uma doença que pode se apresentar de inúmeras formas e variações — já que existem mais de 200 tipos de câncer —, o médico dessa especialidade é responsável por buscar a opção adequada de tratamento para cada caso.

Quando a cura total da doença ou mesmo a sua remissão não é possível, o oncologista direciona o tratamento para os cuidados paliativos, que têm o objetivo de diminuir o sofrimento do paciente. Para alcançar os melhores resultados possíveis ao longo do tratamento do câncer, esse profissional trabalha em conjunto com especialistas em outras áreas da Medicina, formando uma equipe multidisciplinar.

12. Ortopedia

A Ortopedia é a especialidade médica que cuida da saúde do aparelho locomotor, ou seja, os ossos, músculos, tendões, ligamentos, articulações e nervos. Embora exista uma crença de que quem precisa desse tipo de médico são pessoas mais velhas, os ortopedistas costumam atender muitos pacientes jovens, inclusive bebês.

Após realizar o diagnóstico, o que, normalmente, ocorre com o auxílio de exames de imagem, o especialista indica um tratamento, que pode incluir o uso de medicamentos, sessões de fisioterapia e, até mesmo, cirurgia. Quando o profissional deseja se especializar ainda mais na área, é possível aprofundar os estudos sobre problemas nas mãos, na coluna ou nos joelhos, por exemplo.

13. Pediatria

Ao mesmo tempo em que existem especialidades que voltam os cuidados para o público idoso, como a Geriatria e a Gerontologia, há uma área da Medicina que direciona o foco para crianças e jovens.

A Pediatria tem como objetivo garantir o bem-estar do público infantojuvenil por meio do diagnóstico, tratamento, acompanhamento e prevenção de doenças ou condições de saúde. Esse é um ótimo campo para quem gosta de estar perto de crianças e ajudá-las de alguma maneira.

Algumas habilidades profissionais para o médico que deseja seguir carreira na Pediatria são empatia, paciência, comunicação e atenção. Isso é necessário porque as crianças nem sempre sabem expressar o que estão sentindo, o que dificulta a identificação do problema de saúde.

Além do mais, ambientes hospitalares são mais assustadores para as crianças, pois elas ainda não têm um entendimento tão grande do que esses espaços representam. Por isso, é preciso ter uma boa relação entre médico e paciente, de modo a transmitir confiança.

14. Pneumologia

Doenças respiratórias também têm sido cada vez mais comuns. As causas são diversas, como o aumento da poluição do ar, principalmente em grandes centros urbanos, o tabagismo e as condições climáticas de algumas regiões.

Vale ressaltar, também, que a pandemia do novo coronavírus trouxe mais ênfase para essa especialidade. Afinal, uma das sequelas causadas pela Covid-19 é o mau funcionamento dos pulmões, sendo necessário um acompanhamento médico para estabelecer novos hábitos de saúde, a fim de preservar a qualidade de vida do paciente.

Além do mais, o pneumologista cuida de doenças como asma, pneumonia, tuberculose, embolia pulmonar e demais patologias capazes de afetar o funcionamento do pulmão e dos órgãos do sistema respiratório.

Em outras palavras, a Pneumologia se dedica aos cuidados com a via respiratória, preservando a saúde dos pulmões, alvéolos, brônquios, faringe, laringe e demais componentes desse sistema.

15. Psiquiatria

Essa é uma das áreas da Medicina que mais geram dúvidas nas pessoas. Muitas vezes confundida com a Psicologia — que não é uma especialidade médica —, a Psiquiatria é voltada para o diagnóstico e tratamento das doenças mentais.

Depressão, transtorno de ansiedade, transtorno bipolar, síndrome do pânico e esquizofrenia são alguns exemplos das condições que o psiquiatra costuma tratar. Para tanto, o profissional pode receitar medicamentos e recomendar, também, a psicoterapia, que é feita com o psicólogo.

Outra diferença do psiquiatra para o psicólogo é que apenas o primeiro tem autorização para prescrever medicamentos para transtornos mentais. Sendo assim, o trabalho de ambas as profissões é complementar.

De acordo com o Conselho Federal de Medicina, já são reconhecidas 55 áreas da Medicina no Brasil, o que evidencia como esse mercado é diversificado e promissor. A lista que fizemos neste post é apenas uma pequena amostra das possibilidades que aguardam por você depois da graduação. Portanto, não perca tempo e invista no seu sonho de estudar Medicina!

E então, achou este post interessante? Se ficou com vontade de saber mais sobre o curso, o que acha de, agora mesmo, fazer o download do nosso guia de carreira da saúde, para conhecer as diversas possibilidades que você tem ao seguir na área? Até lá!

CARREIRAS DA SAÚDE
Você também pode gostar

Deixe um comentário