Posso estudar Psicologia EAD? Entenda mais sobre o assunto

psicologia ead
6 minutos para ler

Não há como negar: há muita gente interessada em se tornar um psicólogo. Não é à toa que segundo o último levantamento do Inep, houve 531.562 vestibulandos se candidatando a uma graduação na área só em 2018.

Para se ter ideia, esse número é tão alto que faz desse curso o quinto mais procurado em todo o país, perdendo apenas para Administração, Direito, Medicina e Pedagogia. E é justamente por despertar tanto interesse que muitas pessoas se questionam se já é possível estudar Psicologia EAD.

Afinal de contas, essa é uma modalidade de ensino que caiu no gosto popular e que atende às necessidades de muitos estudantes que não têm como (ou preferem não) acompanhar as aulas presenciais. Pensando nessa questão, a gente preparou um post que vai tirar suas dúvidas e ajudá-lo a se preparar para essa formação. Confira!

Qual é o perfil de um estudante de Psicologia?

O perfil do estudante de Psicologia é conhecido por algumas características que fazem a diferença não só ao longo da formação (que dura cinco anos), mas também na carreira como profissional da saúde. Entre elas, podemos destacar a aptidão pela leitura e a escrita, a boa capacidade de comunicação, o interesse em estudar e pesquisar questões humanitárias e sociais, a motivação constante em ajudar o próximo etc.

Além disso, o estudante de Psicologia é alguém capaz de lidar com as diferenças e respeitá-las, tem um senso de observação apurado, bastante curiosidade sobre como se forma e se altera o comportamento humano e ainda tem uma forte afinidade com trabalho coletivo.

É possível estudar Psicologia EAD?

A resposta para essa pergunta é: não. Isso acontece porque, embora o crescimento de cursos EAD seja constante ao longo dos anos no Brasil — alcançando cerca de 9.374.647 alunos só em 2018, segundo o Censo EAD produzido pela Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED) —, ainda não é possível estudar Psicologia nessa modalidade.

Isso se deve principalmente ao fato de que o Conselho Federal de Psicologia (CFP), assim como os conselhos de outras áreas da saúde, como a Medicina, a Odontologia e a Medicina Veterinária, fazem oposição à oferta de cursos da saúde no ensino digital. O portal do CFP, por exemplo, conta com várias notas a respeito, reforçando o posicionamento da categoria.

O motivo, segundo esses órgãos, é que as formações desse ramo não são apenas teóricas. Ao contrário, envolvem muitas aulas práticas em laboratório, além de atividades presenciais onde é estabelecido o contato com o paciente e treinado o atendimento clínico em situações comuns e também de urgência e emergência. Logo, não há como disponibilizar a graduação em Psicologia na modalidade de educação a distância.

Quais são os argumentos favoráveis à Psicologia EAD?

Entre os principais argumentos favoráveis à oferta desse curso na modalidade de ensino digital está justamente a flexibilidade de horários. Afinal, o estudante pode assistir às aulas de casa e no período do dia que ele considera mais produtivo de acordo com a agenda pessoal e as necessidades que tem. Com isso, ele ganha mais autonomia e se torna protagonista no próprio processo de formação como futuro psicólogo.

Outros pontos levantados são o contato contínuo com a tecnologia — já que as aulas, os fóruns, a tutoria, o acesso ao material didático e as demais atividades são feitas por meio de um ambiente virtual de aprendizagem — e a economia a longo prazo — visto que os cursos no ensino digital têm mensalidades mais em conta e muito mais atrativas.

Como viabilizar os estudos presenciais em Psicologia?

“Já entendi que não há Psicologia EAD, apenas na modalidade presencial. Por isso, como posso viabilizar meus estudos e garantir um bom desempenho na minha formação?”, você deve estar se perguntando. Por isso, saiba que uma boa ideia é avaliar qual o melhor turno para fazer o curso, se o matutino ou o noturno. Para tanto, leve em conta suas outras atividades (como compromissos, emprego, afazeres domésticos etc.) e os seus horários livres.

Outra dica importante é programar a sua rotina de estudos com antecedência para garantir que a cada sábado e/ou domingo seja revisado a matéria vista na semana e você consiga fazer resumos, pesquisas complementares e trabalhos extracurriculares.

Isso evita que você acumule matéria, não consiga acompanhar o conteúdo e fique sem participar adequadamente das atividades propostas pelos professores ao longo dos semestres (como seminários e projetos).

O que vou estudar no curso de Psicologia?

O curso de Psicologia tem como foco o estudo e a investigação da subjetividade do homem. Ou seja, só por isso já dá para ver que é uma formação densa e que requer muita análise crítica-reflexiva, não é mesmo? Não é à toa que você tem, ao longo dos cinco anos de graduação, disciplinas que abordam os aspectos sociais, culturais e fisiológicos que influenciam o nosso comportamento e a nossa personalidade.

Em paralelo, você se aprofunda nos conceitos que envolvem os transtornos mentais e a psicoterapia — assim como o efeito dela na saúde mental e no bem-estar das pessoas.

Para completar, como se trata de um bacharelado, você é apresentado às áreas de atuação do psicólogo que vão muito além do trabalho desenvolvido em clínicas e consultórios, como é o caso da Psicologia Jurídica, da Psicologia Hospitalar e da Psicologia Organizacional. Abaixo, você confere algumas das principais disciplinas na grade do curso:

  • Psicopatologia Geral;
  • Psicologia Social;
  • Técnicas Projetivas e Expressivas de Avaliação;
  • Políticas e Estratégias em Saúde;
  • Gestalt Terapia;
  • Saúde do Trabalhador;
  • Saúde Mental e Atenção Psicossocial;
  • Psicologia Escolar;
  • Processos Grupais.

Como você viu, ainda não é possível cursar Psicologia EAD. Por isso, é importante planejar bem a sua rotina para fazer uma graduação presencial e ter um bom desempenho não apenas nas aulas, mas também nos estágios e nas atividades extracurriculares.

Dessa forma, a sua formação é mais proveitosa e você enriquece o seu currículo para ter mais oportunidades em processos seletivos de emprego, para cargo de trainee ou mesmo uma futura residência multiprofissional.

Gostou do post? Então aproveite que estamos falando sobre a área da Psicologia e conheça outras possibilidades de carreiras no ramo da saúde!

Você também pode gostar

Deixe um comentário