5 dicas para quem quer entrar no mundo gamer profissionalmente

gamer profissional
4 minutos para ler

Escrito por: Lívia Gils e Isabelle Favieri

Alunas de Jornalismo – Unidade Tom Jobim (Rio de Janeiro)

Os games ganharam cada vez mais espaço no mercado mundial nos últimos anos. Segundo pesquisas realizadas pela consultoria Newzoo, estima-se que esse mercado deve gerar mundialmente cerca de US$ 152 bilhões em 2019 — e o Brasil ocupa o 13º lugar no ranking global de maior mercado de games, sendo o 1º entre os países latino-americanos.

Mesmo com o país ocupando posições de destaque mundialmente, ainda percebemos dúvidas em como se tornar um profissional nesse mercado. Para esclarecer essas dúvidas, fomos até a Game XP 2019, o maior game park do mundo, e conversamos com Regina Felício, gestora nacional do curso de graduação em Jogos Digitais da Estácio. 

A especialista participou de um dos talks do evento e desmistificou um pouco do mundo gamer para os jovens que estão saindo do Ensino Médio e têm curiosidade em fazer parte desse mercado. 

Regina Felício destacou 5 dicas fundamentais para quem quer entrar no Mundo Gamer. Confira a seguir:

1. Goste de jogar e entenda os jogos

É essencial gostar de jogar, mas não se limite apenas a isso. É importante apreciar e buscar entender como são elaborados os jogos. Além disso, deve-se ter em mente que, para entrar nesse mercado, é preciso ter espírito empreendedor.

2. Estude muito e coloque seus conhecimentos em prática

Para ser um profissional dos games, é preciso estudar e ir além do que é ensinado em sala de aula. Por exemplo, quando for elaborar um jogo, é importante pensar em algumas questões como a jogabilidade.

Quando falamos sobre jogabilidade, estamos nos referindo à criação das estratégias, de um cenário e de uma história que possa envolver e encantar o público, além dos personagens que vão despertar empatia no jogador. Para se preparar da melhor maneira possível, o curso ideal é a graduação em Jogos Digitais da Estácio.

3. Descubra de que o seu público gosta

Isso inclui fazer pesquisa sobre o público que você pretende atingir, descobrir em qual tema ele demonstra mais interesse e pensar em todos os detalhes que esse tema pode exigir. Ou seja, é definir desde a paleta de cores, movimentos e som, até pensar em questões históricas que ambientam o jogo.

4. Faça pesquisas de mercado

É importante entender como está o mercado de games brasileiro. Segundo a especialista Regina Felício, no ano de 2017, havia cerca de 10 a 15% de alunos estagiando na área de games. Atualmente, esse número é de 25 a 35%. Muitos desses alunos são efetivados nas empresas antes da formatura. Outra parte dos alunos segue a carreira de forma autônoma, como empreendedores.

Vale ressaltar que o mercado brasileiro de games se mostra bastante promissor e tem cada vez mais oportunidades para quem estuda e atende às demandas exigidas por esse setor.

5. Arrisque-se ao desenvolver jogos

Para quem tem o sonho de entrar nesse mundo dos games e não sabe como, a especialista Regina Felício dá a dica final: “Faça jogos! Comece com os mais simples. Participe das comunidades gamers, dos eventos temáticos. Divulgue seu jogo nas mídias, nas lojas de aplicativos, em todos os lugares”.

O mercado de games é um mercado em alta, cheio de oportunidades para todos, mas é preciso ter em mente que, para fazer parte do mundo gamer, é necessário se arriscar e saber vender a sua ideia.

Seja criativo, fique por dentro das tendências do mercado e esteja sempre atento a feiras e eventos ligados ao setor. Muitas vezes, é por meio desses eventos que você vai conseguir conhecer as novidades da área e conhecer empresas que podem estar procurando novidades. Talvez a sua ideia seja o que falta para fazer a diferença nesse mercado tão promissor!

Você também pode gostar