6 dicas que vão ajudar você a estudar sozinho

estudar sozinho
7 minutos para ler

Mesmo quem está sempre rodeado de pessoas uma hora ou outra tem que estudar sozinho, não é verdade? Afinal, existem dias em que não é possível encontrar os colegas para compartilhar essa missão.

Apesar das preferências de cada um, podemos notar vantagens e desvantagens nos dois modelos. Por exemplo, ter alguém por perto para ajudar a tirar uma dúvida muitas vezes é um benefício, embora a autonomia de poder criar a sua própria rotina de estudos também seja um ponto vantajoso.

De qualquer forma, reunimos algumas dicas que vão contribuir para o seu desempenho acadêmico quando tiver que estudar sozinho. Acompanhe o post para descobrir quais são elas!

1. Descubra o melhor método para estudar

estudar sozinho

Muita gente não sabe, mas explorar diferentes técnicas de estudo é uma tarefa crucial para identificar com qual delas você rende mais. Não estamos querendo dizer que existe um método de aprendizado melhor do que os outros, só que essa é uma questão que varia de acordo com a personalidade de cada um.

Enquanto alguns estudantes gostam de ler a matéria em voz alta para fixar o conteúdo, outros preferem fazer a leitura em silêncio e anotar os tópicos mais relevantes. Há também quem prefira dedicar-se ao estudo intensivo de uma disciplina, ao mesmo tempo em que outras pessoas acreditam ser mais produtivo intercalar os assuntos durante o período de dedicação.

Ou seja, quem ainda não sabe qual jeito funciona melhor para si pode fazer alguns testes para descobrir em qual estratégia apostar e aumentar sua eficiência nos estudos. A partir de então, crie um planejamento completo e defina metas que devem ser cumpridas todos os dias — saiba que organização e disciplina serão fundamentais para o seu sucesso.

2. Cuide da iluminação do local

estudar sozinho

Esse é um tipo de cuidado que passa despercebido por diversos alunos. Inclusive, muitas deles sentem alguma diferença entre estudar sozinho em casa ou em outro ambiente e não sabem dizer o motivo.

A verdade é que a iluminação do ambiente de estudos é um detalhe que merece atenção. Quando o local é mal iluminado, a tendência é que o estudante tenha que fazer um esforço maior para enxergar, ler e aprender. Isso significa que ele pode apresentar dificuldades ou apresentar sintomas como ardência nos olhos, dores de cabeça e uma sensação de cansaço constante (é como se a sua resistência diminuísse pela necessidade de fazer essa “força extra”, o que gera um esgotamento antes do tempo).

Portanto, comece a reparar na luz do ambiente de estudos que você escolheu. O ideal é que ela não seja fraca ou forte demais, sendo semelhante à iluminação natural. Durante o dia, vale ficar perto de uma janela para aproveitar a luz solar e à noite regular as lâmpadas para garantir um clima agradável.

3. Mantenha uma alimentação balanceada

estudar sozinho

Os alimentos que consumimos todos os dias não servem apenas para saciar a fome. Quem já estudou um pouco de Biologia sabe que o nosso organismo precisa receber nutrientes para funcionar bem, o que inclui toda a parte cerebral e cognitiva — fatores como aprendizado, concentração, memória etc.

Essa é a principal razão para os estudantes se preocuparem com a alimentação. Caso contrário, muitas horas de estudo e dedicação podem ir por água abaixo, visto que boa parte do seu rendimento talvez seja prejudicada pela carência nutritiva.

Nesse sentido, um grande risco é ser atraído pela falsa praticidade das comidas industrializadas, que não têm valor muito nutricional. Uma alimentação balanceada e saudável deve priorizar o consumo de frutas, legumes, cereais e outros alimentos que oferecem os nutrientes adequado para o corpo humano. Por exemplo, o ômega 3 e as vitaminas do complexo B são muito importantes para o desempenho estudantil.

4. Fique longe das distrações

estudar sozinho

Se os grupos de estudos são “perigosos” pelo risco de começar a bater papo com os colegas e perder o foco, estudar sozinho envolve outros tipos de tentações. Desde um pássaro passando pela janela até o barulho de alguém que mora com você, sem contar a vontade de se jogar no sofá ou tirar um cochilo fora de hora.

O fato é que as distrações estão em todos os lugares e precisamos assumir o controle para ter um rendimento positivo. O primeiro passo é identificar o que causa a sua desatenção para decidir como agir. Deixar o celular no silencioso e encontrar um local tranquilo para estudar já são duas recomendações indispensáveis, mas pode ser que você precise de outros ajustes pontuais.

5. Faça da tecnologia uma aliada

estudar sozinho

Os alunos das gerações atuais podem contar com um privilégio que não fazia parte da rotina acadêmica no passado: a tecnologia. Uma simples busca na internet é capaz de oferecer milhares de conteúdos para ajudar a estudar sozinho. Explicações, exercícios resolvidos, dicas, videoaulas, livros gratuitos, entre tantos outros recursos.

Os aplicativos também servem como facilitadores e as suas funções são bastante variadas, como: gerenciador de tarefas, fonte de conteúdo, armazenamento digital, agenda, medidor de desempenho etc. Essas ferramentas podem ser baixadas nos smartphones para contribuir com a otimização dos estudos, até porque é mais fácil carregar o dispositivo do que um monte de materiais, não é mesmo? Com uma boa dose de bom senso, dá para usar a tecnologia como aliada para o seu progresso.

6. Respeite seus limites

estudar sozinho

Para finalizar as dicas, não deixe de considerar o seu bem-estar e ficar de olho nos seus limites. A vida acadêmica até terminar a faculdade não vai ser sempre fácil, mas isso não quer dizer que você precisa viver sacrificando sua saúde mental e física.

Quando sentir que algo não está bem, pare e reflita o que pode ser melhorado para favorecer a sua disposição. Tente fazer alguns ajustes no cotidiano, como estabelecer pequenas pausas durante os estudos para não ficar tão sobrecarregado.

O segredo é encontrar um equilíbrio geral, ainda que a parte dos estudos demande mais tempo e empenho. Tenha a certeza de que a sua performance como estudante não depende apenas do quanto você estuda, mas de boas noites de sono, do convívio social, da satisfação de fazer o que gosta, dos momentos de lazer e diversão.

Tudo isso faz parte de uma rotina produtiva e saudável. Por isso, a organização e a disciplina são tão importantes, justamente para você conseguir lidar com tantas tarefas sem comprometer gravemente nenhuma área da sua vida. E as semanas de provas? É claro que essas fases devem ser mais exaustivas, com menos horas de sonos ou de entretenimento. Contudo, se você manter um ritmo frequente de estudo, não será preciso se desesperar ou prejudicar tanto sua rotina.

No fim das contas, estudar sozinho é um exercício que promove a autonomia de qualquer pessoa, o que é uma boa qualidade até para o desenvolvimento profissional. Porém, lembre-se que toda liberdade requer muita consciência e comprometimento para que os objetivos sejam alcançados!

Gostou das nossas dicas? Uma ótima ideia agora seria compartilhar este post nas suas redes sociais para ajudar os seus amigos. O que acha?

Você também pode gostar