Estudante de Medicina: quais são os desafios do curso e como superá-los?

estudante de medicina
17 minutos para ler

Cuidar das pessoas e poder levar mais qualidade de vida a cada uma delas é algo que atrai seu interesse? Pois saiba que você carrega o perfil básico para se tornar um estudante de Medicina e construir uma carreira promissora na área.

Inclusive, já deve ter pensado bastante sobre esse tipo de trabalho. Acertamos? Se sim, aproveite, que este post foi feito para pessoas como você. Nosso objetivo é ajudar com algumas informações a respeito do curso de Medicina e, principalmente, dos desafios que costumam acompanhar as diferentes etapas do período de formação.

Entender como funciona a faculdade é o primeiro passo em descobrir quais situações fazem parte da rotina de futuros médicos. Dessa forma, você terá uma noção geral sobre as disciplinas, características desejáveis aos estudantes, tipos de atividades práticas e demais processos que envolvem a graduação.

Ficou com vontade de saber o que te aguarda a partir do ingresso no ensino superior? Prossiga com a leitura e veja como você pode se preparar para essa importante fase da sua vida!

Características do curso de Medicina

Uma boa graduação deve formar profissionais capazes de melhorar a saúde humana por meio do diagnóstico, prevenção, tratamento e cura de doenças. Se essas tarefas representam rotinas que você gostaria de fazer durante boa parte da sua vida, vale a pena buscar uma faculdade renomada.

No Brasil, a duração mínima dos cursos de Medicina é de 6 anos. Após a formação, é possível desenvolver atividade como clínico geral ou fazer especializações a partir da residência médica. Trata-se de uma espécie de pós-graduação para médicos, que costuma durar entre 2 e 5 anos.

Antes de escolher a instituição de ensino, no entanto, é crucial pesquisar sobre as características dos cursos de Medicina. Isso vai favorecer suas análises e reflexões, de modo que consiga identificar se realmente está tomando a decisão certa sobre a profissão dos seus sonhos.

Composição da grade curricular

As matérias abordadas ao longo dos semestres entregam muitas informações sobre um curso de graduação. Portanto, se você pretende se tornar estudante de Medicina, não deixe de conferir a estrutura curricular de diversas faculdades.

Os nomes das disciplinas podem variar de uma instituição para outra, mas todas elas oferecem os conteúdos necessários ao preparar futuros profissionais da área. De modo a facilitar seu entendimento, listamos algumas das matérias mais básicas do curso de Medicina:

  • Anatomia Humana;
  • Atenção à Saúde Primária;
  • Bioética Médica;
  • Bioquímica Médica;
  • Clínica Médica;
  • Embriologia Humana;
  • Farmacologia;
  • Fisiologia Humana;
  • Genética Humana;
  • Histologia Médica;
  • Imunologia;
  • Microbiologia Médica;
  • Parasitologia Médica.

Vale lembrar que muitas disciplinas têm mais de um módulo, o que significa que elas são abordadas em diferentes períodos a fim de que os alunos possam aprofundar seus conhecimentos. Um bom exemplo disso está nas nomenclaturas das matérias que seguem uma ordem, como Epidemiologia I e Epidemiologia II.

Da mesma forma que ocorre em outros cursos da área da saúde, a faculdade de Medicina ainda engloba conceitos básicos nos primeiros dois anos. Depois, os estudantes passam a ter contato com assuntos relativos à clínica médica e finalizam a graduação exercendo a clínica prática — o período conhecido como estágio.

Perfil desejável dos alunos

A grade curricular do curso é bem extensa e envolve disciplinas complexas sobre variados assuntos. Portanto, uma das características necessárias a qualquer estudante de Medicina é gostar de aprender. Tenha em mente que a curiosidade e a motivação para mergulhar em cada tema serão suas maiores aliadas.

Outra condição importante a quem deseja cursar Medicina é ter empatia pelas pessoas. Esse sentimento gera interesse sobre a vida dos demais, permitindo que o profissional compreenda, oriente e ofereça sempre a melhor solução aos pacientes, conforme a realidade de cada um.

Em suas rotinas, os médicos também devem servir de exemplo àqueles que forem atendidos. Isso significa que suas condutas e hábitos precisam ser positivos. Nesse sentido, vale a pena começar a adotar atitudes benéficas desde a graduação.

Atividades do curso

Você terá que cumprir aulas teóricas e práticas desde o momento em que for apenas um iniciante na faculdade. Em outras palavras, precisará se dedicar tanto aos conteúdos aplicados em sala quanto às atividades realizadas nos laboratórios da instituição.

Os espaços equipados com os melhores recursos são essenciais ao ensino e aprendizagem de conceitos da Anatomia, Imunologia e outras disciplinas. Também é preciso considerar a importância do estágio, já que aproxima o aluno da realidade profissional e, em muitas faculdades, divide-se em diversos módulos.

Principais desafios do curso de Medicina

Algumas dificuldades são comuns a qualquer estudante do ensino superior. Conciliar rotinas, otimizar horários e controlar gastos são algumas delas, mas há condições que são específicas de cada curso. Conhecê-las, portanto, é uma boa forma de aproveitar a faculdade ao máximo e evitar imprevistos. Veja, a seguir, os desafios mais presentes no dia a dia de um estudante de Medicina.

Tempo de curso integral

Por ter duração mínima de 6 anos (12 semestres), a graduação em Medicina demanda muita dedicação ao estudo de cada disciplina. Inclusive, você vai perceber que boa parte das faculdades ocorrem em período integral, ou seja, têm suas aulas distribuídas em turnos distintos.

Isso significa que a probabilidade de ter atividades pela manhã, tarde e noite é bem alta. Essa organização permite que todos os conteúdos sejam ministrados no tempo certo, com a carga horária definida na grade curricular do curso. Portanto, é preciso se acostumar com a ideia.

Em alguns casos, a instituição de ensino também determina a realização de aulas em dias pouco convencionais, como o sábado. Isso mesmo! Você poderá ter encontros com os colegas e professores aos finais de semana para dar conta de todas as disciplinas e exercícios propostos.

Embora não seja um problema a pessoas que se adaptam com facilidade, a combinação de turnos torna os tempos de folga mais escassos. Os horários intercalados também não permitem que você cumpra atividades que costumam ser executadas em períodos fixos, a exemplo de um emprego tradicional.

Preparo para lidar com situações difíceis

O dia a dia dos médicos nem sempre é feito de atendimentos tranquilos em clínicas. Aqueles que atuam em grandes hospitais e em Centros de Terapia Intensiva (CTIs), por exemplo, precisam enfrentar situações que fariam muita gente entrar em desespero.

Nessas horas, o foco e o equilíbrio passam a ser essenciais para que o profissional consiga pensar rápido e agir de forma correta, realizando todos os procedimentos necessários. Mas e quem ainda está na faculdade? Como se preparar para lidar com emergências ou acontecimentos graves?

Ainda que calouros não tenham tantas atividades práticas, devem ter em mente que possíveis simulações serão realizadas ao longo do curso. O objetivo é fazer com que o estudante de Medicina se acostume com momentos tristes ou desagastantes e consiga prosseguir com os atendimentos.

Aceitar ocorrências complicadas como algo normal na rotina da profissão não é fácil. Esse processo pode ser recebido de diferentes formas pelos alunos, conforme o grau de sensibilidade de cada um. De todo modo, vale a pena trabalhar as emoções desde já e lembrar que sua grande missão vai envolver a proteção da vida.

Conteúdo profundo e variado

A rotina do curso fica intensa nas primeiras semanas e, quando perceber, você estará com diversas tarefas a cumprir. Além de variadas, as disciplinas costumam abordar cada assunto de maneira aprofundada, o que exige dedicação e muita energia por parte dos estudantes.

Sem organização do tempo e dos afazeres, é quase impossível dar conta de todas as matérias e ter bons resultados. Pode ser que aquele momento antes destinado ao lazer precise ser, muitas vezes, preenchido com leituras, resumos e exercícios ao enfrentar vésperas de provas.

Além das aulas teóricas e práticas, vale destacar a importância das atividades extracurriculares de modo a aprimorar saberes. Assim, você precisará dividir bem o tempo para fazer trabalhos da faculdade e participar de palestras, cursos, congressos e outros processos de formação.

É necessário ter muita persistência para encarar o volume de conteúdos e manter os estudos em dia. E como o bom desempenho depende de corpo e mente sadios, você ainda terá que prever intervalos adequados ao descanso, prática de atividades físicas e planejamento de refeições equilibradas.

Alta manutenção da faculdade

A Medicina é uma das faculdades mais concorridas por conta de fatores como reconhecimento da profissão e garantia de bons salários. Isso faz com que o tempo e os investimentos destinados à conquista de uma vaga sejam bem maiores quando comparados ao esforço dedicado a outros cursos.

Por falar em investimento, essa é uma graduação considerada cara em diversos lugares. Os valores cobrados variam de uma instituição para outra, mas sempre tendem a ser mais altos que os de outras faculdades. Os preços praticados no Brasil vão de R$ 5 mil a mais de R$ 12 mil.

Tirando a mensalidade, o aluno também precisa custear os inúmeros materiais do curso de Medicina. A lista inclui desde livros até equipamentos e vestimentas usadas nas atividades práticas, como estetoscópio, oxímetro, otoscópio, martelo de Buck MD e jaleco.

Se considerar que os gastos mensais e esporádicos vão perdurar por, no mínimo, 6 anos, o aluno logo percebe que precisará ter um bom planejamento financeiro para dar conta de todas as despesas.

Estudo de anatomia

Analisar cadáveres, manipular órgãos e lidar com fluidos corporais são práticas desconfortáveis para boa parte dos alunos. De fato, o estudante de Medicina precisa enfrentar essa dificuldade se quiser desempenhar seu papel com maestria, sem nenhum bloqueio que prejudique o trabalho.

Mesmo que, futuramente, você escolha uma área que não envolva a realização de exames mais invasivos, por exemplo, precisará dominar os processos básicos da rotina de um médico. Isso inclui tirar sangue (punção venosa) e até simular momentos como parto e reanimação de pacientes.

O estudo da anatomia não se limita a avaliar partes do corpo humano por curiosidade. Essa matéria é crucial para que as turmas gravem o nome, a posição e outras características relevantes de cada tecido. Aos poucos, esse exercício fará com que você saiba identificar cada osso, nervo ou tipo de músculo.

Como o organismo é complexo e repleto de detalhes, é preciso atenção redobrada a fim de entender como suas estruturas se comportam. Para isso, você precisará recorrer às famosas “decorebas” ou apostar em métodos que favoreçam a absorção e consequente memorização dos conteúdos.

Dedicação exclusiva

A extensa carga horária do curso faz com que os estudantes precisem reservar grande parte do tempo aos estudos. Como os horários costumam ser flexíveis, variando entre turnos, dificilmente sobra espaço na agenda para se dedicar a outros tipos de aprendizado.

Tenha em mente que, após cumprir a graduação completa, você precisará estudar pelo menos mais 2 anos para, finalmente, atuar. A etapa de residência é uma especialização obrigatória em clínica médica e representa o período de preparo em algumas especialidades.

Outro ponto é a definição de uma das áreas da Medicina para fazer especialização. Trata-se de uma escolha difícil a muitos graduados, visto que existem mais de 50 opções disponíveis. Cardiologia, Psiquiatria, Dermatologia, Ginecologia e Obstetrícia são apenas alguns exemplos.

É fácil concluir, portanto, que essa faculdade exige dedicação exclusiva em muitos casos. Isso significa que é preciso planejar toda a sua vida com atenção especial ao processo de formação. Ele será, todos os dias, uma prioridade entre as demais tarefas cotidianas.

Atualização constante

A Medicina é uma área que se beneficia com a evolução constante da tecnologia, da ciência e de demais recursos empregados no exercício da profissão. Assim, para ser um profissional completo e antenado às melhores soluções, você precisa criar o hábito de acompanhar tendências desde a faculdade.

O estudante de Medicina pode atualizar seus conhecimentos de diversas formas: ler notícias da área, ouvir opiniões de colegas que já estão inseridos no mercado de trabalho, buscar materiais e estudos publicados em outros idiomas, conversar com diferentes professores e muito mais.

Independentemente do método escolhido, é importante que a pesquisa constante sempre traga novidades e gere reflexões acerca da carreira. Lembre-se de que muitos médicos investem na educação continuada por meio de cursos extras e especializações, sempre com o objetivo de aprimorar seus trabalhos.

Logo, compensa muito ter uma mente curiosa mesmo quando você estiver nos períodos iniciais da faculdade. Os avanços e mudanças ocorrem a todo momento, muitas vezes sem aviso. E estar de olho em cada um deles fará com que você consiga se diferenciar para prestar atendimentos de qualidade.

Alta responsabilidade

Se alguém questionasse por que cursar Medicina, uma de suas respostas provavelmente seria a vontade de ajudar as pessoas a viver melhor. Apesar de esse motivo ser muito bonito, ele carrega uma grande responsabilidade — cuidar da saúde de terceiros, sejam crianças, adultos ou idosos.

É claro que, em suas rotinas, os médicos costumam contar com o apoio de enfermeiros, técnicos e outros profissionais da saúde. Ainda assim, boa parte dos procedimentos estarão sob os cuidados daqueles que têm formação para desempenhar cirurgias, diagnósticos complexos e demais intervenções.

Além disso, devido ao amplo conhecimento que obtêm ao longo dos anos, os médicos passam a ser admirados pelos pacientes. Em outras palavras, conquistam a confiança desse público e precisam ter muito cuidado com a forma como vão influenciar as escolhas das pessoas.

O mesmo ocorre com quem ainda está na fase da graduação, já que acaba tendo contato com pacientes por meio de estágios, atendimentos à comunidade e programas de voluntariado. Ou seja, é preciso ter noção da responsabilidade que estará carregando em cada uma dessas situações.

Como superar os desafios e se destacar

Estudar é coisa séria, ainda mais quando se trata do preparo para exercer uma profissão tão importante à sociedade. Felizmente, grande parte dos desafios que citamos são superados a partir de um bom planejamento de rotina, que pode estar apoiado em uma planilha ou cronograma.

Ao ter todas as obrigações e compromissos visíveis em um documento, você conseguirá ter maior controle dos horários e priorizar as tarefas urgentes. Isso inclui desde revisões de provas até a elaboração de trabalhos em grupo, que, muitas vezes, precisam passar por diversas etapas.

Confira outras práticas que podem ser úteis antes de você se tornar estudante de Medicina ou quando estiver prestes a ingressar na faculdade!

Conversar com outras pessoas

O primeiro passo para perder o receio de cursar a graduação desejada é trocar uma ideia com os grupos que já tiveram contato com essa realidade. Podem ser desde profissionais recém-formados até médicos com nome consolidado na área.

Não tenha vergonha de agendar uma conversa com essas pessoas, a fim de descobrir o que elas passaram durante o curso e quais estratégias aplicavam para superar desafios. Outra opção é entrevistar alunos que estão no meio ou final da graduação, perguntando, entre outros questionamentos que considera relevantes:

  • como lidam com os estudos em tempo integral;
  • quais técnicas e métodos preferem utilizar ao revisar conteúdos;
  • que tipo de prática pode ajudar no momento de memorizar conceitos.

Respeitar seu ritmo e limites

Ainda que cada curso tenha pessoas com interesses parecidos, não dá para esperar que todas apresentem o mesmo desempenho nas provas e exames. E não há problema nenhum nisso, afinal, uma disciplina que parece fácil para você pode ser muito complicada para seu colega, e vice-versa.

É claro que todos devem dar o melhor de si para mandar bem nas avaliações e absorver o conteúdo ministrado. No entanto, saiba que perder o ritmo em algum momento ou precisar refazer uma matéria não significa que você é menos capaz que o restante da turma.

Pense que estará investindo em um curso na área da saúde, portanto, é melhor adiar a aprovação e ter uma nota alta do que passar em cima da média. Seus futuros pacientes merecem essa dedicação em obter o máximo de conhecimentos para atender com segurança e excelência.

Ademais, saiba que sempre é possível melhorar seus resultados. O segredo é não desanimar e saber que duas, três ou mais tentativas fazem parte do dia a dia do estudante de Medicina.

Verificar todas as condições para fazer a faculdade

Muitos fatores podem amenizar os impactos causados pelos desafios que acompanham o curso. Um corpo docente qualificado, por exemplo, tem condições de transmitir as aulas de maneira didática, além de orientar os alunos quando estes tiverem dúvidas, incertezas e outras questões a resolver.

Quanto à parte de custos, vale a pena buscar instituições que ofereçam bolsas e reduções no valor da mensalidade. O percentual de desconto tende a variar de acordo com a forma de ingresso — Enem, vestibular, transferência ou segunda graduação —, portanto, informe-se com antecedência.

Outra condição que facilita a rotina é filtrar cursos em regiões próximas de você. Assim, poderá se deslocar com facilidade, evitando gastos excessivos com locomoção, mudanças e a temida perda de tempo. Essa decisão também fará com que seus horários sejam melhor aproveitados, principalmente em dias corridos.

Onde estudar Medicina

Os desafios do curso não superam os benefícios que acompanham quem segue essa bela profissão. Enquanto promovem a saúde e combatem diversas enfermidades, os médicos permanecem rodeados de histórias incríveis e de pessoas que os inspiram a ser melhores.

Chegar a esse ponto, contudo, exige alguns cuidados. Antes de tudo, pesquise sobre as instituições de ensino que oferecem a graduação e avalie todos os diferenciais envolvidos. Priorize aspectos como a capacitação dos professores, estrutura disponível e metodologia empregada.

Na Estácio, você pode estudar com a tranquilidade de saber que estará frequentando um curso de Medicina moderno, adaptado às inovações mais recentes e que valoriza a formação humanizada. Aliás, foi um dos primeiros do Brasil a introduzir o ensino com base em simulação realística.

Aqui, você também encontrará todos os recursos necessários para aplicar seus conhecimentos e desenvolver habilidades essenciais ao exercício da profissão. O conjunto inclui equipamentos de qualidade, instalações completas e tecnologia de ponta.

Ficou com vontade de seguir seus planos e finalmente se dedicar a essa carreira? Com a nossa ajuda, o sonho de se tornar estudante de Medicina chegará rápido e da melhor maneira possível. Então, não espere mais e comece a planejar os próximos passos dessa realização.

Esperamos que tenha refletido bastante sobre os desafios do curso. Se decidiu que a Medicina é a escolha certa para você, acesse o nosso site e aproveite para fazer a sua inscrição na Estácio!

CARREIRAS DA SAÚDEPowered by Rock Convert
Você também pode gostar