Guia definitivo: descubra como funciona o Enem!

como funciona o enem
18 minutos para ler

Você quer saber como funciona o Enem? Essa é uma dúvida supercomum. Afinal, muito se fala sobre a prova, mas nem sempre é fácil de entender qual é, de fato, a sua importância.

Antes de mais nada, é preciso saber que esse exame tem diversas finalidades, sendo a principal delas facilitar o acesso ao ensino superior. Por esse motivo, nos últimos anos, o Enem tem recebido mais de 5 milhões de inscritos por edição. Além disso, com a nota obtida na prova, é possível conseguir bolsas e financiamentos para estudar em instituições de ensino privadas.

Para ajudar você a entender melhor como funciona o Enem, montamos este guia, em que apresentamos todas as informações úteis sobre esse famoso exame nacional. Acompanhe e saiba tudo o que você precisa!

Para que serve o Enem?

Como visto, a nota do Enem pode ser usada para diversas finalidades. A seguir, entenda como fazer essa prova pode ajudar nos seus estudos e a conquistar o sonho de iniciar um curso superior!

ProUni

O Programa Universidade para Todos (ProUni) visa oferecer bolsas de estudo parciais e integrais para as mais variadas universidades privadas de todo o país, independentemente da região — com ele, você pode morar no Sudeste e conseguir uma oportunidade para fazer uma graduação no Nordeste, por exemplo.

Esse programa costuma acontecer duas vezes por ano (em janeiro e no segundo semestre), prestigiando mais de 200 mil alunos do país. Para participar da seleção, no entanto, é preciso realizar o Enem mais recente, obter uma pontuação média acima de 450 e não zerar a redação.

Além disso, existem outros requisitos para participar do ProUni, como:

  • ter estudado todo o ensino médio em escola pública ou com bolsa integral em colégios particulares;
  • ser professor com cargo permanente na rede pública de ensino;
  • ser pessoa com deficiência (PcD) — aqui, não é preciso ter concluído todo o ensino médio em escola da rede pública ou ter bolsa integral na rede privada.

Fies

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é outro programa do Ministério da Educação (MEC) que auxilia a entrada e permanência nos cursos de ensino superior. Nesse caso, é oferecido um financiamento estudantil com os menores juros, podendo chegar a zero, para estudar em instituições de ensino privadas.

A nota do Exame Nacional do Ensino Médio também serve para concorrer a esse programa, sendo necessário tirar mais de 450 de média e não ter zerado a redação em qualquer edição do Enem realizada após o ano de 2010.

O Fies permite que o aluno pague o curso apenas após a sua conclusão, contribuindo mensalmente com parcelas significativas durante a graduação. Além disso, os juros cobrados vão de acordo com a renda familiar do estudante, sendo de 0 para quem recebe até 3 salários mínimos per capita. 

Porcentagem da nota na faculdade

A nota do Enem também permite entrar diretamente na universidade, seja pública ou privada. Para o primeiro caso, há o Sistema de Seleção Unificada (SiSU), que oferece diversas vagas para as mais variadas instituições de ensino públicas do país duas vezes ao ano.

Além disso, várias instituições de ensino superior (IES) privadas oferecem a possibilidade de utilizar a pontuação obtida no Enem para o ingresso, substituindo o seu vestibular próprio.

Algumas delas também utilizam o desempenho no Enem como uma porcentagem para a nota final de seu vestibular, sendo necessário realizar outras provas em seu processo seletivo. Tudo vai depender do local escolhido para iniciar os seus estudos no ensino superior e da forma de ingresso adotada pela instituição.

Mas, então, o que é o Enem?

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é uma prova produzida pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e realizada anualmente. Criado em 1998, a sua proposta inicial era avaliar o desempenho dos alunos que se formavam no ensino básico, tornando-se, ao longo dos anos, um dos principais métodos de ingresso nos cursos superiores.

O exame consiste na realização de duas provas — divididas em quatro cadernos — e uma redação. Por conta disso, é realizado em dois domingos nos últimos meses do ano, com duração de, aproximadamente, 5 horas.

O que é o Enem Digital?

O Enem Digital é uma nova iniciativa para realizar a prova, principalmente por quem optou por estudar online. Até então, a avaliação só poderia ser realizada de modo impresso, nos locais indicados pelo MEC algumas semanas antes do dia do exame.

Para facilitar esse processo e pela necessidade de adaptação devido à pandemia causada pelo novo coronavírus, foi criado o Enem Digital, que segue a mesma estrutura do exame tradicional, porém, é realizado de forma remota. O Enem 2020 será a primeira versão desse formato de aplicação das provas.

Quem pode fazer essa prova?

Antes de começar a estudar para o Enem, é importante saber quem pode fazer a prova. A boa notícia é que praticamente qualquer pessoa que tenha o nível escolar do ensino médio está apta a realizá-la.

Alunos que ainda estão no ensino médio, em seu primeiro ou segundo ano, também podem participar, embora seja recomendado que se inscrevam como treineiros. Afinal, a nota só poderá ser utilizada em seu último ano ou após a conclusão do ensino básico.

É importante reforçar que o Enem também é bastante acessível. Para isso, oferece atendimento especializado para candidatos que apresentam alguma deficiência física ou intelectual, como cegueira ou baixa visão, surdez ou baixa audição, dislexia, autismo e TDAH, entre outras.

O Enem também tem atendimento específico, que é voltado para pessoas hospitalizadas ou em tratamento de saúde, grávidas e lactantes, pessoas privadas de liberdade (PPL) e idosos. Entretanto, para ter acesso a essas adaptações, é necessário solicitá-las no momento de inscrição no exame.

Como funciona o Enem?

Sabendo o que é o Enem, qual é a sua aplicabilidade e quem pode realizá-lo, chegou a hora de entender como ele acontece na prática. Prepare-se para a prova sabendo mais sobre o processo de inscrição e de realização do exame.

Inscrição

Para se inscrever no Enem, em primeiro lugar, é necessário entrar no site do Inep, na página do participante, durante o prazo aberto para as inscrições. Esse período costuma acontecer nos meses de abril ou maio. É importante reforçar que a única via para realizar a inscrição é pela internet.

Na página do participante, serão solicitados alguns dados pessoais, como CPF, data de nascimento, RG e órgão de expedição, nomes dos pais, nacionalidade, naturalidade, estado civil, cor/raça, sexo e CEP.

É nessa fase que você vai informar, também, se precisará de atendimento especializado ou específico. Para qualquer uma dessas opções, é necessário apresentar uma comprovação com laudo médico.

Em seguida, você pode escolher qual será a língua estrangeira: inglês ou espanhol — a avaliação toda é feita em português, mas, na prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, há cinco questões de um desses idiomas, de acordo com o que foi selecionado.

Algumas perguntas, como se você concluiu ou ainda está cursando o ensino médio, assim como a instituição de ensino onde ele foi ou está sendo realizado, serão feitas. Também há um questionário socioeconômico com 25 questões e a solicitação dos seus dados para contato (número de telefone ou celular e endereço de e-mail).

Por fim, você vai escolher o formato do Enem que deseja realizar (tradicional ou digital), enviar uma foto com o seu rosto e confirmar todos os dados. Depois disso, você recebe o seu número de inscrição e será gerado um boleto com a taxa de inscrição, a não ser que você tenha pedido a isenção.

Isenção da taxa

A isenção da taxa deve ser solicitada antes da abertura das inscrições para o Enem. Além disso, é necessário cumprir com algum dos seguintes requisitos:

  • estar cursando o último ano do ensino médio na rede pública;
  • ter concluído o ensino médio em uma escola pública ou com bolsa integral na rede privada e, ainda, ter renda mensal familiar por pessoa de até um salário mínimo e meio;
  • candidatos que têm inscrição no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal), com renda mensal familiar de até três salários mínimos ou meio salário mínimo por pessoa.

Caso o candidato tenha solicitado a isenção da taxa na edição anterior do Enem, mas não tenha comparecido a algum dia da prova, é necessário justificar a ausência para usufruir desse benefício novamente.

Nome social

Com o objetivo de inclusão de pessoas transexuais e travestis, o Enem oferece a possibilidade de ser chamado pelo nome social, denominação que está de acordo com a sua identidade de gênero, e de escolher o banheiro que gostaria de usar.

Para solicitar o nome social, há um período definido, no qual é necessário enviar uma foto atual e nítida, seguindo as especificações (sem óculos escuros ou chapéus, colorida, com fundo branco e com o rosto e ombros enquadrados), e digitalizar os documentos de identificação. Em caso de não deferência, é possível entrar com um recurso no prazo informado.

Dia da prova

Além de saber das inscrições, é importante entender como funciona o Enem na prática. Veja algumas informações importantes. 

O que levar

Nos dias das provas, é necessário levar o seu documento de identificação com foto, podendo ser RG, CNH, passaporte ou carteira de trabalho. Caso não tenha nenhum desses documentos, será preciso levar um boletim de ocorrência informando roubo ou perda.

Além disso, é obrigatório o uso de canetas individuais exclusivamente pretas e de tubo transparente. Esse é um procedimento para evitar colas e garantir que o gabarito seja legível. Uma dica é levar mais de uma, pois não é possível pedir emprestado.

É recomendado, também, levar um lanche no dia a prova, tendo em vista que ela tem cerca de 5 horas de duração. No entanto, priorize alimentos leves, para evitar problemas e a necessidade de ir ao banheiro — lembre-se de que o tempo é o seu pior inimigo nesse exame.

Celulares, relógios e demais dispositivos eletrônicos devem ser desligados e guardados em um envelope oferecido durante a prova. O ideal é não levar nenhum desses equipamentos, pois, caso vibrem ou emitam algum som, o aplicador pode retirar a sua prova e eliminar você do exame.

Primeiro dia

O primeiro dia de Enem é referente às provas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Cada caderno tem 45 questões de múltipla escolha, com 5 alternativas, sendo apenas uma a correta.

Além disso, no primeiro dia de aplicação do exame, há a redação. Ela é de caráter dissertativo-argumentativo, e o tema é revelado apenas na hora da prova. Nesse dia, a duração é de 5 horas e meia.

Segundo dia

O segundo dia de Enem contempla os cadernos de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias, também com 45 questões cada, de múltipla escolha e 5 alternativas. No entanto, a sua duração é de apenas 5 horas.

Independentemente do dia, caso o estudante tenha interesse de levar consigo o caderno de questões, é necessário esperar até os últimos 30 minutos de prova. Além disso, os 3 últimos alunos na sala devem sair juntos e assinar uma ata.

Como a nota do Enem é composta?

Esta é mais uma questão fundamental para sabermos como funciona o Enem. A nota final do aluno é a média da pontuação obtida nos 4 cadernos e na redação. No entanto, essa medida não é proporcional à quantidade de acertos em cada uma das avaliações.

Isso, porque o exame usa a Teoria de Resposta ao Item (TRI) para definir a pontuação de cada candidato. Essa foi a forma que encontraram para saber se o aluno acertou uma questão porque sabia como respondê-la ou se foi por chute.

Isso significa, também, que as questões não têm o mesmo peso, pois se classificam de acordo com o seu grau de dificuldade. Aquelas que têm um maior índice de acerto são consideradas fáceis, enquanto as que têm mais erros são as difíceis.

Se o candidato acertar poucas questões fáceis e mais medianas e difíceis, principalmente se estão relacionadas com o mesmo tema, a conclusão é que os acertos mais complicados foram por sorte, e não por conhecimento. Desse modo, o seu peso seria menor.

Isso não significa que valha a pena deixar as questões que você não sabe em branco. Ter uma nota reduzida por ter acertado pelo chute vale mais que não receber nenhuma pontuação por aquela pergunta.

Como arrasar na redação do Enem?

A dica principal para ter um bom desempenho na redação do Enem é não fugir do tema. Isso pode descontar pontos ou fazer você zerar todo o texto. Outra maneira de garantir uma pontuação alta é praticar a escrita de uma dissertação argumentativa e se basear nas produções que receberam nota 1.000.

Também vale a pena ler bastante sobre os assuntos da atualidade e começar a formar suas próprias opiniões sobre eles. Afinal, não é possível saber qual será o tema da redação, mas a tendência é que ele esteja relacionado com os tópicos importantes da época.

Além disso, lembre-se de que você tem um tempo limitado no dia da prova e, ainda, terá que responder a 90 questões. Por isso, evite perder minutos refazendo o seu texto. Para isso, monte um esboço com tudo o que você pensou em colocar na redação e organize as ideias que serão escritas em cada parágrafo.

Quais são os assuntos mais cobrados no Enem?

Como você viu, a prova do Enem é bem extensa, com 180 questões no total e uma redação. Estudar todos os temas que podem ser cobrados vai envolver um bom tempo de dedicação, o que nem sempre é possível para todos os alunos. Por isso, o ideal é focar os assuntos que mais caem.

Lembre-se de que quanto mais questões básicas você acertar, melhor será a sua nota quando acertar as de nível mais complexo. Desse modo, foque, primeiro, aprender os conteúdos mais simples; só então evolua para os mais complicados.

Uma maneira de começar a fazer isso é conferindo os assuntos mais cobrados no Enem. Entenda mais a seguir!

Ciências Humanas e suas Tecnologias

Esse caderno se divide nas questões de História, Geografia, Sociologia e Filosofia. Aqui, é fundamental saber interpretar textos, fazer uma análise da obra e relacioná-la com teorias e fatos dessas disciplinas.

Na hora de estudar História, foque a brasileira, com temas do século XIX, como a abolição da escravidão e a Proclamação da República, e do século XX, como era Vargas e ditadura militar. Já no quesito internacional, as implicações da Segunda Guerra Mundial e da Guerra Fria são fundamentais.

As questões de Geografia na prova do Enem envolvem mais os biomas e climas das diferentes regiões do Brasil, aspectos da industrialização mundial e nacional, globalização e economia.

Já na prova de Filosofia no Enem, se espera que se pergunte sobre os principais pensadores da era antiga, principalmente os gregos, como Sócrates, Aristóteles e Platão, e os da modernidade. Existencialismo, Niilismo e Racionalismo são temas recorrentes.

Prepare-se para a Sociologia no Enem ao estudar temas como a divisão social do trabalho, diversidade e desigualdade social, democracia, luta de classes e mais-valia (de Karl Marx) e positivismo (de Comte).

Ciências da Natureza e suas Tecnologias

A prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias divide as suas 45 questões nas disciplinas de Física, Biologia e Química. É importante lembrar que algumas perguntas do Enem são interdisciplinares, mesclando, portanto, conhecimentos de duas ou mais matérias.

Na hora de estudar Física para o exame, procure focar temas como cinemática, energia, trabalho, dinâmica (principalmente as leis de Newton), fenômenos térmicos (calorimetria e termodinâmica), eletromagnetismo e ondulatória.

Já em relação aos principais temas para serem estudados de Biologia para o Enem, vale a pena focar citologia, bioquímica, interação do homem com o ambiente, genética, ecologia e evolução.

Os conteúdos de Química no Enem costumam girar em torno das transformações químicas. Por isso, estudar os tipos de ligação, equilíbrio químico, estequiometria, cinética química e química orgânica e inorgânica é fundamental.

Matemática e suas Tecnologias

Na Matemática, com frequência, caem assuntos como razão e proporção, probabilidade e estatística, geometria plana e espacial, matemática financeira (porcentagem, juros simples e juros compostos), sequências (PA e PG) e funções (domínio, imagem e gráficos).

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

A prova de Linguagens no Enem envolve disciplinas como língua portuguesa, idioma estrangeiro (inglês ou espanhol, dependendo do que você escolher no momento da inscrição), artes, literatura e educação física.

Estudar os diferentes gêneros textuais, figuras e funções de linguagem, principais escolas literárias e gramática vai ser essencial para ter um bom desempenho nessa prova do Enem.

Quais são as melhores práticas para se preparar para o Enem?

Saber como funciona o Enem e começar a se preparar para as provas com antecedência é uma maneira de garantir um bom desempenho e evitar se sobrecarregar. Além disso, essa é uma ótima estratégia para diminuir a ansiedade em relação ao exame. Veja algumas dicas que vão ajudar você durante esse período!

Faça um cronograma de estudos

Para conseguir ver todos os temas importantes antes da data da prova, divida o seu tempo de maneira estratégica. Além disso, crie o hábito de estudar todos os dias e busque otimizar o seu aprendizado, aumentando a sua produtividade. 

Pratique a interpretação de textos

Saber interpretar textos verbais ou não verbais vai ser fundamental para se sair bem em todas as provas do Enem, desde Matemática até Linguagens. Isso, porque o exame costuma apresentar conteúdos longos, e usar algumas estratégias para otimizar a sua leitura e absorver as ideias principais é ótimo para responder às questões com agilidade.

Para isso, experimente ler a pergunta antes de começar o texto. Dessa maneira, você já sabe a que deve atentar durante a interpretação. Além disso, confira o rodapé do conteúdo para encontrar o autor, ano de publicação e título. Assim, é possível ter noção do que o escrito trata.

Faça simulados

Um dos maiores desafios do Enem é a administração do tempo. Geralmente, você tem cerca de 3 minutos para responder cada questão. No entanto, é preciso considerar, também, o tempo de preenchimento do gabarito.

A melhor maneira de treinar é com os simulados. Experimente pegar provas antigas e fazê-las em uma tarde que você tiver livre, isolando as distrações, mantendo um lanche e água próximos de você e restringindo as idas ao banheiro.

Leia o edital

Quer forma melhor de entender o Enem do que lendo o seu edital? Isso é fundamental para ficar por dentro dos prazos, regras e oportunidades que o exame oferece — como a isenção de taxa e os atendimentos específico e especializado.

Agora que você sabe como funciona o Enem, não deixe de começar os seus estudos o mais rapidamente possível. Desse modo, você conseguirá se organizar com mais flexibilidade e, ainda assim, ver todos os conteúdos necessários para se sair bem na prova.

Gostou deste post? Quer estudar para o exame de forma prática e eficiente? Então, conheça o Enem Action, uma plataforma gratuita e totalmente digital para ajudar você nos estudos!

Baixe nosso material sobre faculdade a distância agora mesmo!
Você também pode gostar

Deixe um comentário