Confira 6 dicas de economia para ter dinheiro no fim do mês

dicas de economia
6 minutos para ler

Ninguém está livre de imprevistos financeiros, mesmo as pessoas mais bem-sucedidas. Inclusive, pode ter certeza que quem finalmente alcançou a tão sonhada independência financeira é porque economizou bastante ao longo do percurso. Por isso, ter na manga algumas dicas de economia é essencial para não deixar seu planejamento ir por água abaixo.

Se você está investindo na carreira, por exemplo, precisa contar com aquele dinheirinho extra para pagar a faculdade de forma tranquila, além dos demais gastos domésticos e pessoais. Isso é necessário porque não podemos abrir mão de certas coisas, como no caso dos estudos.

Pensando nisso, preparamos este post com 6 dicas certeiras que vão ajudar a ter dinheiro no fim do mês. Assim, vai ser moleza se concentrar no que realmente importa e mandar o estresse para longe. Confira!

1. Tenha um planejamento financeiro

Seu sossego e tranquilidade têm tudo a ver com planejamento financeiro. Não tem como manter a calma e a mente fresca se todo fim de mês você fica no vermelho, certo? Para dar um basta nessa história, a primeira dica é planejar suas finanças.

Coloque tudo na ponta do lápis, definindo quais são as despesas fixas (aluguel, faculdade, transporte etc.) e as variáveis (supermercado, farmácia, lazer etc). Anotando todos os seus gastos, fica fácil identificar possíveis “ralos de dinheiro” — aqui, fazemos uma comparação com “escoar pelo ralo” — e perceber o que pode ser cortado do seu orçamento.

Saiba ao certo quanto você ganha para, então, definir quanto poderá ser gasto com cada despesa. Lembre-se também de fazer uma reserva de emergência, por mais magra que seja. Uma boa sugestão é definir um valor a ser poupado mensalmente e ir aumentando a quantia aos poucos, até que o ato de poupar se torne um hábito.

2. Quite todas as suas dívidas

Realmente é impossível ser bem-sucedido financeiramente se você tem dívidas a pagar. Antes mesmo de começar seu planejamento, o ideal é quitar todas as contas pendentes para dar o start nessa nova etapa. Caso o saldo devedor seja muito alto, pense em possibilidades de renegociar a dívida com o credor, além de separar uma parte do seu orçamento exclusivamente para quitar as pendências.

Aqui vai uma das dicas de economia mais importante: não recorra ao cartão de crédito ou cheque especial como alternativa para pagar o que deve. Isso, na verdade, só vai transferir as dívidas de lugar, sem falar que os juros dessas modalidades geralmente são os mais altos do mercado financeiro.

3. Economize no supermercado

Parece bobagem, afinal, o gasto com supermercado é algo que não podemos cortar. Mas acredite: se você conseguir baixar alguns centavos na compra de cada produto, o ganho já será significante no final do mês. Então, vale sim a pena fazer uma extensa pesquisa entre os supermercados da sua região para escolher o mais barato.

Defina os melhores horários para frequentar o estabelecimento e agilizar as compras, evitando perder tempo com as filas. Ter uma lista também é fundamental para não comprar mais do que o necessário. A boa e velha dica de não ir ao mercado com fome também funciona, evitando que você gaste seu dinheiro com guloseimas que, além de pesar no bolso, pesam no corpo!

4. Poupe água e energia

Ainda falando sobre gastos domésticos, experimente melhorar seus hábitos de consumo de água e energia elétrica. Mesmo que você seja uma pessoa supercontrolada, sempre dá para economizar mais. Por exemplo: vai dizer que nunca esqueceu algum aparelho eletrônico ligado enquanto saía rapidinho para ir ao mercado e acabou demorando mais do que devia?

Cole um lembrete próximo à porta para não correr esse risco sempre que for sair de casa. Quanto ao consumo de água, uma boa forma de economizar é juntar trouxas grandes de roupa para lavar. Aproveite a capacidade máxima da máquina e procure utilizá-la somente uma ou duas vezes por semana. Isso ajuda muito a gastar menos energia também.

5. Corte gastos supérfluos

Ok, aquela cervejinha com batata frita no happy hour da faculdade é indispensável para o bem-estar dos calouros. Mas será que você precisa fazer isso várias vezes durante a semana? Reflita bem sobre alguns gastos supérfluos e veja o que pode ser cortado do orçamento. Restaurantes caros no horário do almoço, roupas novas só porque estavam na promoção e barzinhos fora de hora são só alguns exemplos de gastos desnecessários.

Além disso, quando for inevitável gastar com essas coisas, peça descontos se for pagar à vista. Não seja tímido. Afinal, como diz o ditado: quem não chora não mama, certo? Também vale a pena ligar nas operadoras de TV e de telefonia para negociar contratos mais econômicos se você já tiver certo tempo de fidelidade com a companhia. Esse tipo de desconto é muito praticado pelas empresas.

6. Pense em alternativas de renda

Por fim, procure alargar seus horizontes pensando em alternativas extras de renda. Fazer um estágio profissional, dar aulas particulares na sua própria casa ou vender doces e salgados na faculdade são exemplos de atividades que podem complementar seus ganhos. Concentre-se nas suas habilidades e veja o que você pode fazer para ganhar mais.

O trabalho freelancer também é uma excelente opção para quem domina algum ramo específico, como o ensino de idiomas, a revisão de trabalhos acadêmicos, a prestação de serviços de informática, entre outros. Nesse caso, os ganhos vão depender basicamente da sua produtividade na função. Então, quanto mais tempo você puder se dedicar, melhor será.

Nesse sentido, gerenciar bem sua rotina é imprescindível para conseguir equilibrar trabalho e estudo com os demais afazeres domésticos e pessoais. Não pense que a organização e a disciplina virão da noite para o dia. O ideal é praticar bastante até que isso se torne um hábito. Assim, vai ser moleza dar conta de tudo.

Com essas dicas de economia e um bom planejamento profissional e pessoal, você vai alcançar sua estabilidade financeira bem antes do que imagina. Aí sim está liberado aquele jantarzinho especial no meio da semana para comemorar!

Tem mais dicas de como controlar o bolso e não ficar no vermelho todo fim de mês? Compartilhe com a gente nos comentários!

Você também pode gostar