Chef de cozinha: o perfil do profissional e como se capacitar

chef de cozinha
7 minutos para ler

Escolher o curso superior ou mudar de carreira são momentos que exigem pesquisa, comparação das opções e análise das próprias expectativas. Vale a pena buscar inspiração em diferentes trajetórias profissionais, por meio de vídeos, notícias, blogposts, podcasts e até séries de televisão — quem nunca ficou empolgado com os programas de competição culinária, por exemplo, e pensou na hipótese de ser um chef de cozinha?

Não é para menos que o interesse das pessoas por essa carreira aumentou. Mas, assim como há mais procura pela profissão de chef, as empresas também esperam encontrar profissionais cada vez mais capacitados para fazer a diferença no paladar de seus clientes.

Neste post, vamos destacar a profissão do chef de cozinha e mostrar como a formação superior é importante na construção dessa carreira. Confira!

Entenda o que faz um chef de cozinha

Além de também executar as tarefas de um cozinheiro, o chef de cozinha cumpre atividades bem mais complexas de seu ofício. Ele é responsável pelo planejamento e pela supervisão da elaboração dos pratos, em todas as etapas de produção.

O profissional desse ramo precisa ter um vasto conhecimento sobre os tipos de alimentos e os processos de preparação. Além disso, deve conhecer os pratos clássicos da gastronomia internacional e, claro, dominar o menu mais apreciado pelos degustadores locais.

Em resumo, o chef de cozinha atua da seguinte forma:

  • planeja e coordena todo o trabalho desenvolvido na produção dos pratos;
  • elabora cardápios — que atendam o menu tradicional e também tragam receitas inovadoras;
  • executa as atividades de qualquer etapa de preparação;
  • lidera a equipe e delega funções aos demais profissionais da cozinha;
  • supervisiona a qualidade dos pratos, considerando os quesitos de sabor e apresentação;
  • acompanha o estoque dos produtos, levando em conta a validade, o modo de conservação e a necessidade de reabastecimento.

Essa é uma ótima opção de carreira profissional, principalmente para quem já tem aptidão para a arte de cozinhar. A oportunidade é convidativa por várias razões e uma delas é que o trabalho passa longe de ser entediante.

Como chef de cozinha, você poderá atuar em restaurantes, hotéis, resorts, navios de cruzeiros, empresas de eventos, entre outros espaços. A mesma versatilidade dos campos de trabalho está nas funções a desempenhar. Isso porque o profissional pode priorizar as criações gastronômicas, assim como pode explorar suas habilidades de liderança e empreendedorismo para gerenciar um restaurante, por exemplo.

As habilidades e o perfil do profissional

Apesar do glamour dos mestres da gastronomia, ser chef de cozinha vai muito além de demonstrar seu talento para um ou outro prato específico. O profissional precisa ser, primeiramente, um verdadeiro cozinheiro, que conhece tudo sobre os procedimentos realizados. Outro ponto importante é ter competências interpessoais. Afinal, você vai liderar pessoas e trabalhar em equipe.

Para entender o que completa o perfil desse profissional, veja quais habilidades precisam ser aprimoradas!

Organização

Ser organizado é um critério fundamental para apresentar um bom trabalho nesse espaço. A organização facilita a preparação dos pedidos, aumenta a produtividade, reduz o risco de falhas e imprevistos e ainda minimiza o clima de estresse em dias de maior movimento.

Gestão

Um chef é um líder. Sendo assim, uma de suas principais funções é fazer a gestão dos processos de trabalho, incluindo etapas de produção, manipulação dos alimentos e coordenação da equipe.

Liderança carismática, pensamento estratégico, rapidez nas tomadas de decisão e capacidade de solucionar conflitos são alguns dos pontos fortes de um gestor eficiente.

Trabalho em equipe

Não basta liderar, também é preciso saber trabalhar em conjunto com a equipe. Para o chef, isso é uma regra de ouro, porque ele deve saber executar as atividades de toda a hierarquia da cozinha. Então, da mesma forma que delega tarefas, ele precisa colocar a mão na massa, lado a lado com seus ajudantes.

Criatividade

Aqui temos uma característica que abrilhanta e diferencia o trabalho do chef de cozinha. Da mesma forma que o profissional precisa conhecer os pratos clássicos da gastronomia brasileira e internacional, ele também deve colocar uma dose de ousadia e criatividade para reinventar suas experiências culinárias.

Paciência

Quanto maior a equipe e a demanda de pedidos, mais paciência o chef de cozinha deve ter — tanto no que diz respeito aos colegas, que nem sempre apresentarão a performance esperada, quanto em relação aos clientes, que podem ser bem exigentes e difíceis de agradar.

Resiliência

Juntamente com a paciência, o chef de cozinha precisa ter resiliência, ou seja, capacidade de se reconstruir diante de situações adversas e seguir adiante com seu trabalho. Afinal, o ritmo alucinante das grandes cozinhas tende a gerar desgaste físico e emocional em um momento ou outro. Além disso, a realidade do dia a dia pode ser bem diferente da imagem idealizada.

O desenvolvimento da carreira

Ter o dom para cozinhar é importante. No entanto, para ser um profissional no ramo gastronômico, é preciso ter conhecimento aprofundado sobre vários assuntos. Por isso, o primeiro passo para se tornar um chef de cozinha é buscar uma graduação em Gastronomia. A formação faz parte dos cursos tecnólogos e tem curta duração, podendo ser concluída no prazo de 2 anos.

O estudante de Gastronomia aprende desde temas fundamentais para o trabalho na cozinha, como nutrição básica e higiene de alimentos, até noções da culinária internacional. O futuro chef também é preparado para atividades de administração e gerência. Entre as disciplinas estudadas no curso, estão:

  • Antropologia da Alimentação;
  • Higiene e Segurança de Alimentos;
  • Nutrição Básica;
  • Administração de Negócios e Custos;
  • Eventos Gastronômicos;
  • Gastronomia Saudável e Sustentável;
  • Marketing Aplicado à Gastronomia;
  • Cozinha Brasileira;
  • Cozinha Mediterrânea;
  • Panificação e Confeitaria;
  • Cozinha Asiática;
  • Cozinha Contemporânea e Tendências;
  • Cozinha Regional Francesa;
  • Enologia, Aperitivos e Drinks;
  • Gerência de Cozinhas.

A escolha do melhor curso para ser um bom chef de cozinha 

Se você se imagina como um conceituado chef de cozinha, saiba que o caminho é promissor. Mas esteja preparado para a competitividade desse cenário e para a alta exigência do mercado. Então, a melhor forma de garantir o seu espaço é com qualificação.

Para isso, encontre uma instituição de ensino reconhecida por sua qualidade acadêmica. Pesquise, busque informações sobre o curso e a faculdade e tenha critérios para fazer essa escolha. Afinal, a construção de uma carreira precisa de uma base sólida, concorda?

A formação de qualidade aliada à vontade de aprender e fazer diferença no universo gastronômico é o que fará de você um bom chef de cozinha. Então, faça o seu planejamento de carreira, escolha o melhor curso e coloque a mão na massa!

Mas se você ainda tem dúvidas sobre qual profissão escolher, faça uma viagem pela nossa Rota das Carreiras, conheça diferentes opções e descubra o seu caminho!

Você também pode gostar