Tecnólogo é curso superior? Tire todas as suas dúvidas sobre o tema

tecnólogo é curso superior
6 minutos para ler

Ao avaliarem as graduações disponíveis para decidir qual fazer, muitos pré-universitários notam que é frequente a oferta de várias opções no formato tecnológico. Com isso, é comum boa parte se questionar se, de fato, tecnólogo é curso superior. Afinal, há diferenças entre esse formato, a licenciatura e, em especial, o bacharelado.

Por esse motivo, resolvemos pôr fim a essa questão, esclarecendo as particularidades desse tipo de graduação que não para de crescer no país. Vamos mostrar, também, por que vale a pena investir nele diante do cenário atual. Acompanhe até o fim!

O que é um curso tecnólogo?

O curso tecnólogo (ou graduação tecnológica) surgiu para cobrir as lacunas que começaram a aparecer nos setores produtivos, como produção, indústria, gestão, educação, serviços, entre outros. À medida que a sociedade se modernizou, desenvolveu-se a infraestrutura das cidades e os recursos tecnológicos se converteram em parte essencial da comunicação, da informação, dos hábitos de consumo, do lazer e do avanço da humanidade.

É por isso que essa formação profissional é bastante dinâmica, exploratória, atual e, principalmente, conectada com as demandas do mercado, pois ela busca aperfeiçoá-lo e contribuir para o crescimento e desenvolvimento da comunidade.

Tecnólogo é curso superior

Sim, tecnólogo é curso superior e tem o mesmo peso de um bacharelado ou de uma licenciatura. Tanto é que o parecer CNE/CES 436/01, emitido pelo Ministério da Educação, foi o responsável por instituir esse tipo de graduação.

Além disso, em 2016, o órgão aprovou, por meio da portaria nº 413/16, a edição atual do Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia. O documento que reúne todas as mais de 100 graduações tecnológicas já existentes e devidamente regulamentadas no país, apresentando cada uma delas e indicando aos estudantes para quais atividades profissionais ela vai prepará-los.

Tecnólogo não é a mesma coisa que curso técnico

Embora os nomes possam soar um pouco parecidos, eles não são iguais. Na verdade, estão bem longe disso. Basta lembrar que o primeiro se trata de uma formação de nível superior que abre as portas para a vida acadêmica e a experiência científica.

Além disso, quem realiza um tecnólogo pode fazer pós-graduação e ampliar ainda mais os horizontes ao longo da carreira. Já o curso técnico é uma preparação de nível médio para o mercado de trabalho. O objetivo dele é ensinar as funções de alguns cargos do mercado de trabalho que não exigem qualificação superior, nem registro em conselhos de classe.

Quem pode fazer esse tipo de curso?

Se você tem interesse em fazer uma graduação tecnológica, saiba que ela não tem restrições quando o assunto é quem pode ou não cursá-la. Apenas é preciso, assim como em qualquer formação de nível superior, já ter concluído o ensino médio e ser aprovado no processo seletivo da faculdade escolhida. Bem simples e prático, não é?

Qual é a diferença entre licenciatura, bacharelado e tecnólogo?

Nós já falamos sobre o foco da graduação tecnológica, que é a formação de profissionais para suprir as novas demandas do mercado. Essa característica permite que a ensino tenha uma estrutura diferente dos outros dois modelos mais tradicionais: a licenciatura e o bacharelado.

Guia de carreiras: Engenharias.

Por exemplo, você pode concluir esse curso superior em 2 anos. Além disso, as disciplinas são majoritariamente práticas e com foco no exercício profissional. Outro ponto marcante é o planejamento das aulas que mesclam exposição de conteúdos, atividades em laboratório e contato com referências mercadológicas, de empreendedorismo e novas tecnologias.

A licenciatura, por sua vez, é um curso que dura 4 anos e visa a qualificação de novos educadores. A grade curricular dela costuma ser mais voltada para a teoria e a discussão de assuntos reflexivos sobre o cenário educacional brasileiro.

Já o bacharelado é uma graduação que leva de 4 a 6 anos e não tem um caminho específico a ser traçado pelo aluno. Ao contrário, por se tratar de uma formação generalista, o estudante pode obter o diploma e seguir um dos diversos eixos da carreira escolhida, tornar-se pesquisador ou se dedicar à docência universitária.

É por essa razão que ela equilibra a apresentação de conteúdos teóricos com conteúdos práticos e estimula continuamente a vivência acadêmica em atividades extracurriculares.

Como anda a procura por esse tipo de formação?

Os dados da edição de 2019 do Censo da Educação Superior, realizado pelo Ministério da Educação, não mentem: a procura pela graduação tecnóloga está em alta. Prova disso é que, dos 3.614.548 estudantes que ingressaram no ensino superior no mesmo ano, 820.711 optaram por essa formação — representando 22,7% do total.

É um resultado considerável que a coloca atrás apenas do bacharelado, responsável por concentrar 57,1% das matrículas. Outra informação interessante que o órgão traz nesse material é que, entre os três tipos de graduação, o tecnólogo teve o maior aumento de matrículas de 2018 para 2019, cerca de 14,1%.

E não para por aí, viu? Isso porque, de acordo com o MEC, os cursos tecnológicos foram os que tiveram maior expansão em todo o país entre 2009 e 2019, justamente por conta da procura crescente por eles ao passar dos anos. Foi um aumento total impressionante de 132,5% ao longo da década.

Como é o mercado para quem faz um curso tecnólogo?

Se você se preocupa que o mercado de trabalho adote distinções contra quem tem um diploma tecnólogo, mantenha a calma! Essa é uma formação cada vez mais valorizada, pois garante às organizações privadas e públicas que haverá pessoas qualificadas e disponíveis para o crescimento delas e, sobretudo, em um intervalo de tempo reduzido.

Viu só como não apenas o tecnólogo é curso superior, mas também uma ótima alternativa para quem deseja entrar no mercado com uma bagagem de conhecimento 100% alinhado a fim de atender às demandas dos novos setores de produção, gestão, serviços e afins? Portanto, pesquise pelas opções de graduação nesse formato e encontre a que melhor vai capacitar você para o futuro profissional que almeja ter.

E se quiser saber mais sobre como aproveitar seu período acadêmico e enriquecer o currículo para aumentar suas oportunidades de estágio e trabalho, já sabe: é só assinar nossa neswletter!

Você também pode gostar

Deixe um comentário