Como desenvolver a inteligência emocional? Veja as nossas 9 dicas

como desenvolver a inteligência emocional
6 minutos para ler

Saber como desenvolver a inteligência emocional não é uma tarefa fácil. Essa é a habilidade de conseguir lidar com as próprias emoções e as alheias, de maneira equilibrada, a fim de ter mais qualidade de vida e criar relações mais saudáveis com outras pessoas.

Apesar de estar muito relacionada com os traços da personalidade de cada indivíduo, todo mundo é capaz de desenvolver inteligência emocional. Melhorar essa capacidade traz diversos benefícios pessoais, acadêmicos e profissionais, como ter uma jornada na faculdade positiva, aprimorar os relacionamentos interpessoais, destacar-se no mercado de trabalho, entre outros.

É por isso que, neste post, vamos dar 9 dicas de como desenvolver a inteligência emocional e desfrutar das vantagens oferecidas por essa habilidade. Continue a leitura e confira!

1. Transfira o foco de si mesmo para o outro

Um dos primeiros passos para melhorar a inteligência emocional é ter a famosa empatia. Trata-se de conseguir reconhecer as necessidades, os sentimentos e as individualidades. É a capacidade de transferir o foco de si mesmo para o outro.

Isso envolve ser mais solidário, ajudar ao próximo naquilo que está ao seu alcance e saber se colocar no lugar de outras pessoas. Além de colocar você em contato com realidades diferentes, ainda contribui para o autoconhecimento.

2. Torne todas as convivências gratificantes e edificantes

Sabemos que lidar com pessoas não é nada fácil. No entanto, ter um bom convívio com os indivíduos ao redor também é fundamental. É melhor ainda quando um consegue colaborar com o outro, tornando o contato edificante e gratificante.

Você pode tornar essa realidade possível ao evitar intrigas, abrir-se para o diálogo, tentar entender por que outra pessoa age de tal forma, entre outras atitudes construtivas dentro de um ciclo social. Lembre-se também de se apegar aos aspectos positivos da convivência para identificar a parte gratificante desse contato interpessoal.

3. Transforme o autoengano em autoconhecimento

Como você encara o erro? Já pensou em utilizá-lo para o autoconhecimento? O autoengano, muitas vezes, parece ser algo negativo, que coloca alguém para baixo. Entretanto, é possível ressignificá-lo como um aprendizado, tanto sobre si quanto sobre a realidade em que vive.

Saber aceitar os próprios equívocos faz parte do desenvolvimento da inteligência emocional. Isso permite avaliar onde errou e o que pode ser feito para evitar novos erros. Ou seja, não é necessário encarar o autoengano com rigidez, mas como uma oportunidade de acertar na próxima.

4. Controle os sentimentos ruins e os impulsos

Sentimentos ruins, como raiva, tristeza e culpa, costumam nos motivar a ter péssimas atitudes ou agir por impulso. Trabalhar a inteligência emocional é saber se controlar para parar, conter-se, respirar e pensar antes de tomar uma decisão.

Além disso, é preciso ressaltar que controlar os sentimentos ruins não significa que você precisa reprimi-los. É de extrema importância demonstrar o que sente, desde que seja feito de uma maneira que não prejudique você ou outra pessoa.

5. Mostre-se humilde e aberto a aprender

Uma coisa é certa: ninguém sabe tudo a ponto de não precisar aprender algo novo. Por isso, independentemente do seu grau de conhecimento, é importante ter humildade e abrir-se para ter novas experiências que agreguem ao seu saber.

Guia de carreiras: Engenharias.

Sempre que possível, faça perguntas, demonstre o seu interesse em estar aprendendo coisas novas, saiba ouvir mais e, se achar necessário, compartilhe também as suas experiências. Desse modo, um pode ajudar no crescimento do outro.

6. Coloque a resiliência em prática

A resiliência é o ato de adaptar-se às situações. Algumas ocasiões exigem um pensamento racional para reagir adequadamente diante das adversidades, principalmente quando estão relacionadas a mudanças drásticas.

Praticar a resiliência nos menores atos é outra maneira de desenvolver a inteligência emocional e de preparar-se devidamente para saber agir com calma nas situações e nos imprevistos mais sérios.

7. Não tenha medo de se expressar

Guardar o que você sente é algo que prejudica muito a saúde mental e, consequentemente, o bem-estar. Isso pode acontecer por diversos motivos: medo de julgamento, falta de confiança nas outras pessoas, receio de magoar alguém ou até mesmo o hábito de não se expressar.

Mas que tal começar a colocar para fora o que você sente? Caso ainda não se sinta confortável com isso, faça aos poucos. Experimente procurar um psicólogo para fazer um acompanhamento terapêutico, mesmo que você não apresente nenhum transtorno mental, e tente conversar com alguém de confiança.

O importante é começar a falar como se sente, principalmente nas situações em que uma pessoa magoou você. Demonstrar, com palavras acolhedoras, que você se sentiu mal em determinada ocasião vai fazer com que o outro indivíduo comece a tirar o foco de si mesmo e reveja também algumas atitudes. Assim, é possível evitar o rancor e cultivar relações mais saudáveis.

8. Lide de frente com o estresse

O estresse está presente na vida de praticamente todas as pessoas atualmente, mesmo que em níveis diferentes. A inteligência emocional é uma ferramenta que pode ser usada para que as situações estressantes não dominem você, nem tirem todo o bem-estar.

Isso porque o estresse afeta não apenas a saúde mental, como também a física. Ao permanecer muito tempo com o problema, o corpo começa a reagir com tensão muscular, dores de cabeça, insônia e queda da imunidade.

9. Pratique responder em vez de reagir

Já parou para refletir na sutil diferença entre responder e reagir? Na prática, ao tomar a primeira atitude, você é capaz de ter uma postura mais consciente e serena diante de uma situação. Já na reação, é bem mais provável agir com impulsividade, de uma forma passional da qual, provavelmente, terá arrependimento no futuro.

São nas pequenas ações que é possível praticar essa e todas as dicas que compartilhamos neste post. Pense na inteligência emocional como um muro que precisa ser levantado. A cada atitude que favorece a administração das suas emoções, um novo tijolo é adicionado à obra.

Gostou de saber como desenvolver a inteligência emocional? Essa forma de agir só tem a agregar à vivência, trazendo vantagens para o bem-estar, a vida profissional e os planos pessoais. Portanto, não deixe de começar a colocar em prática essas dicas. Além disso, lembre-se: dê um passo de cada vez, até chegar ao seu objetivo.

Aproveite todas as dicas e compartilhe este artigo nas suas redes sociais! Assim, os seus amigos também vão poder descobrir como desenvolver a inteligência emocional.

Você também pode gostar

Deixe um comentário