O que é mapa mental e como utilizá-lo para estudar? Descubra!

9 minutos para ler

É bem provável que você já tenha ouvido falar sobre o tema, mas será que sabe o que é mapa mental?

Essa ferramenta é muito útil na hora organizar informações e criar associações entre vários conteúdos, podendo ser utilizada em diferentes situações, desde a preparação pré-vestibular até a rotina do trabalho.

Ficou surpreso com tal multifuncionalidade, quer saber o que é mapa mental e como utilizá-lo? Então, siga acompanhando o texto.

O que é mapa mental?

O mapa mental pode ser compreendido como uma ferramenta que ajuda a gerir informações. Ou seja, é uma maneira de simplificar a compreensão de um tema, relacionar conteúdos, revisar dados ou mesmo registrar ideias.

Esse método foi criado ainda na década de 1970 por uma pessoa chamada Tony Buzan. Sendo psicólogo e escritor, ele percebeu que o cérebro absorve melhor as informações quando elas são apresentadas de modo dinâmico e, assim, surgiram os mapas mentais.

Como funciona um mapa mental?

Um mapa tradicional, geográfico, funciona como um guia para ajudar você a chegar em determinado local. Correto? Então, quando falamos em mapa mental, a ideia é a mesma. Isto é, essa ferramenta faz com que seu cérebro siga determinado caminho para reter as informações que precisa.

Todavia, como funciona, de fato, um mapa mental? Bem, ele é construído em forma de diagrama, uma representação gráfica com setas, símbolos, palavras, cores diferentes e até imagens.

A ideia é colocar o tema principal de um assunto no centro do diagrama. A partir daí, você cria desdobramentos que se relacionam com aquele conteúdo.

Dessa maneira, sua mente consegue compreender melhor o que está sendo estudado, pois é forçada a criar várias conexões.

Possíveis aplicações do mapa mental

Agora que já sabe o que é mapa mental, pode ser que você esteja se perguntando onde utilizá-lo.  

Bem, sua maior aplicação é como ferramenta de estudo. Sendo assim, você pode criar mapas para compreender melhor disciplinas como história, português, matemática ou matérias cobradas na faculdade ou em concursos.

Afinal, ele vai ajudar você a memorizar informações facilmente, revisar conteúdo antes das provas e aprender tudo de modo mais completo. Todavia, é possível usar um mapa mental em várias outras situações, como as apresentadas a seguir.

Em reuniões de trabalho

Reuniões são momentos em que há a transmissão de muitas informações simultaneamente. Então, vale a pena criar um mapa mental tanto para fazer um brainstorming das suas próprias ideias, quanto para registrar e conectar os conteúdos apresentados pelos demais participantes.

Na organização da rotina

Se você tiver uma rotina agitada, faça um mapa mental para organizar e hierarquizar as atividades que precisa realizar ao longo do dia.

Assim, você pode separar as ações da faculdade daquelas do trabalho e do lazer, por exemplo. E, dentro de cada ramificação, pode criar subdivisões como: estudar para a prova, fazer um exercício, entregar relatório no trabalho, ir na academia, fazer natação etc.

Na hora de organizar um evento

Organizar um evento, de qualquer porte, é algo que dá muito trabalho, pois possui fatores diversos: decoração, alimentos e bebidas, convidados, música, espaço físico, programação etc.

Para não se perder entre todos esses processos, os mapas mentais podem ser muito úteis. Além disso, eles permitem que você consiga visualizar o evento como um todo de modo mais simples.

Qual objetivo do mapa mental?

O principal objetivo do mapa mental é facilitar a vida das pessoas que o utilizam. Afinal, ele ajuda cada indivíduo a compreender e memorizar informações. Além disso, auxilia o cérebro a acessar rapidamente diferentes dados relacionados a determinado assunto.

As vantagens de usar o mapa mental para estudar

Com tudo o que explicamos até aqui, fica mais fácil perceber por que os mapas mentais são tão utilizados na hora do estudo, não é mesmo? Eles oferecem diversas vantagens aos estudantes, sejam eles de faculdade ou aqueles que estão se preparando para o Enem.

Todavia, vamos destrinchar ainda mais essa questão. Por isso, separamos, nos dois próximos tópicos, alguns dos benefícios que você encontra ao utilizar essa ferramenta.

Estudar com mapas mentais ajuda você a se organizar com os conteúdos!

Como os mapas mentais podem ajudar você na faculdade?

Qual a sua principal dificuldade na hora de estudar? É organizar as informações de cada disciplina? Conseguir criar associações entre os conteúdos? Esses problemas e vários outros podem ser minimizados ou até solucionados com o uso dos mapas mentais.

Organização de ideias e informações

Na faculdade, você tende a ter matérias com conteúdos densos e leituras extensas. Então, ao utilizar o mapa mental, é possível clarear sua mente, organizando todos esses dados de modo simplificado e, consequentemente, mais fáceis de serem compreendidos.

Apoio visual

O nosso cérebro trabalha muito bem com representações gráficas. Sendo assim, ao organizar as informações da faculdade de modo visual, você aprende mais rapidamente.

Associação de conteúdos e disciplinas

Como mencionamos, os mapas mentais possuem ramificações em torno de um tema central. Ao criar esses ramos, você pode interligar conteúdos de várias matérias. Isso contribui para um aprendizado profundo, que deixa de ser segmentado por disciplinas para tornar-se multidisciplinar.  

Facilidade na hora da revisão

Depois que um mapa está pronto, você pode utilizá-lo para fazer revisões periódicas de modo rápido. Assim, consegue otimizar seu tempo de estudo.

Memorização e fixação de conteúdos

A forma como um mapa mental é construído contribui para facilitar a memorização de conceitos-chave, datas e outros fatos importantes dentro de cada conteúdo.

Posso estudar para o Enem usando mapas mentais?

Todas as vantagens que acabamos de apresentar para o estudante de faculdade também podem ser aplicadas aos alunos que estão se preparando para o Enem.

Desse modo, se estiver nessa maratona de estudo, invista nos mapas mentais. Eles tornarão seu processo de aprendizagem mais produtivo e farão com que você crie o hábito de relacionar conteúdos acadêmicos entre si, o que é muito cobrado nas questões do Enem.

Assim, um tema sobre ditadura, por exemplo, pode abordar conceitos de história, filosofia, sociologia e geografia. Então, você deixa de ver a disciplina fragmentada para se concentrar no assunto completo.

Mas, lembre-se: o mapa mental não substitui um cronograma ou roteiro de estudos bem estruturado. Ele é uma ferramenta que deve complementar a sua rotina.

Recursos visuais são essenciais para a criação de mapas mentais!

Como fazer um mapa mental?

Não existe mistério na hora de fazer um mapa mental. Você precisa apenas de alguns materiais, momentos de reflexão e um pouco de criatividade. Para ajudar você nesse processo, fizemos um pequeno passo a passo:

Defina o formato do seu mapa

Você pode utilizar papel e canetas para fazer seu mapa mental ou escolher aplicativos para mapa mental e sites e criar uma versão totalmente digital.

Defina qual o tema central a ser trabalhado

Seja no formato manual ou online, é preciso ter em mente o assunto principal que será abordado no mapa. Desse modo, coloque-o no centro de uma folha de papel em branco ou insira-o no programa digital.

Crie as ramificações

A partir do tema mestre, reflita sobre as conexões que estão ligadas a ele e crie ramificações. Lembre-se que quanto mais próximo um ramo estiver do centro do papel, mais importante e abrangente ele é.

Nesta etapa, deixe as ideias fluírem e escreva as subdivisões que achar mais relevantes.  

Foque no uso de palavras-chave

É importante ressaltar que o mapa mental não deve ter muito texto, pois o objetivo é transmitir informações de modo conciso.

Então, sempre utilize conceitos ou palavras-chave para as ideias apresentadas, tanto no centro do mapa quanto nas ramificações. Vale usar imagens ou códigos também.

Defina o que merece destaque  

As cores variadas, típicas dessa ferramenta, não estão lá por acaso. Elas servem para direcionar o olhar e indicar ao cérebro a importância ou as relações existentes entre cada parte do mapa.

Sendo assim, defina o que cada marcador de texto ou caneta colorida vai representar ou indicar.  

Revise o mapa regularmente

Com o tempo, nossas ideias mudam, bem como a forma como percebemos as conexões. Então, sempre revise seu mapa mental e insira ou apague as informações que desejar.

Aplicativos e sites para fazer um mapa mental

Caso você opte por criar um mapa mental online, é importante escolher as ferramentas certas. Hoje, existem vários aplicativos e sites desenvolvidos especificamente com esse propósito. Então, selecionamos os principais para auxiliá-la nesse processo:

Use aplicativos como o Canva para montar seu mapa mental!

Diante de tudo o que apresentamos, você já sabe o que é mapa mental e está pronta para utilizá-los na sua rotina de estudos. Como deu para notar, eles são extremamente úteis para compreender e memorizar informações e vão dar um “up” na sua produtividade acadêmica.

Agora, aproveite para compartilhar este conteúdo com todos os seus amigos! E para mais dicas educacionais, fique de olho aqui no blog da Estácio

Você também pode gostar

Deixe um comentário