Como conseguir cumprir as atividades complementares na faculdade

atividades complementares
8 minutos para ler

Nem só de sala de aula é feita a faculdade! Para uma graduação mais proveitosa, o estudante pode realizar atividades complementares, que são ações paralelas às aulas e também muito importantes para a formação e o seu início de carreira. Intercâmbio, workshops, monitoria e estágios são apenas alguns exemplos.

Em alguns cursos, essas atividades são obrigatórias, mas também podem ser feitas espontaneamente pelo aluno. Existem aquelas que ocorrem dentro da faculdade e outras fora dela. Enfim, são muitas opções, mas todas têm em comum os grandes benefícios para a trajetória acadêmica.

Neste post, vamos destrinchar algumas das principais atividades complementares da graduação, explicar mais sobre suas vantagens e, ainda, dar dicas para que você consiga equilibrar todos esses afazeres. Continue a leitura!

Afinal, o que são atividades complementares na faculdade?

As atividades complementares são realizadas pelo aluno para garantir uma formação mais abrangente e interdisciplinar. Ter projetos de pesquisa, ser monitor de turmas, realizar um intercâmbio ou mesmo participar de eventos da área são alguns exemplos.

Essas atividades podem até não ter foco em conhecimentos técnicos da profissão, mas agregam demais na formação do estudante. Com elas, o aluno tem experiências que ajudam a construir o seu perfil profissional, a lidar com desafios e a colocar a teoria em prática.

Por esse motivo elas podem ser obrigatórias no curso — o que geralmente ocorre nas Licenciaturas. Nesse caso, o aluno precisa cumprir uma quantidade mínima de horas em atividades complementares para receber o diploma. Porém, mesmo que sejam opcionais, as atividades são muito vantajosas!

Quais são as atividades complementares que você pode fazer?

Existem muitas atividades complementares que podem ser realizadas pelo estudante, tanto dentro da faculdade como fora dela. Confira, a seguir, algumas das mais interessantes!

Iniciação científica (IC)

A iniciação científica é um projeto de pesquisa desenvolvido pelo estudante com o auxílio de um professor orientador. Normalmente, os programas de IC duram 12 meses e exigem a apresentação de relatórios sobre o andamento da pesquisa.

No Brasil, o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) é um dos mais relevantes. No entanto, a faculdade também pode contar com programas institucionais de IC.

Intercâmbio acadêmico

O intercâmbio acadêmico é um dos sonhos de muitos estudantes. Não por menos: a experiência de passar um semestre letivo estudando no exterior é inesquecível, tanto pela vivência cultural em outro país quanto pelos impactos no currículo.

Se atender todos os pré-requisitos do edital, o estudante pode até mesmo conseguir um auxílio de custos durante a sua viagem. No entanto, mesmo que tenha que arcar com as despesas, a experiência certamente vale cada centavo!

Trabalho voluntário

Se você já participou de algum processo seletivo em empresas, deve ter sido questionado sobre experiências com voluntariado. Sim! Trabalhos voluntários são um grande destaque no currículo porque mostram o protagonismo do estudante, a responsabilidade social e a busca pelo autodesenvolvimento.

Para tanto, oportunidades é o que não faltam: projetos culturais, iniciativas públicas e ONGs estão sempre precisando de pessoas dispostas a ajudar. A dica é dar uma olhada no Atados, uma plataforma com vagas de voluntariado por todo o Brasil. Em troca, você ganha uma vivência incrível!

Monitoria

Em programas de monitoria, o aluno atua auxiliando o professor durante as aulas. Por exemplo, no planejamento de atividades, correção de listas de exercícios e participação em plantões de dúvida. Assim, essa atividade é um instrumento de ensino-aprendizagem, além de ser uma excelente experiência para quem quer dar aulas no futuro.

Guia de carreiras: Engenharias.Powered by Rock Convert

Participação em eventos

Os profissionais que realmente valorizam a carreira estão sempre em busca de aprimorar seus conhecimentos. Para isso, os eventos da área de atuação são ótimas pedidas. Na faculdade, o aluno já pode criar o hábito de participar ativamente dessas ocasiões, como feiras, congressos e seminários.

Além de otimizar a formação, o aluno consegue fazer contatos profissionais, ficar por dentro de novidades e tendências na sua futura área de atuação e, ainda, rechear o currículo. Afinal, muitos desses eventos fornecem certificados de presença para os participantes.

Cursos de extensão

Cursos de extensão e até mesmo cursos livres também são excelentes atividades complementares na graduação. Você pode tanto buscar por conteúdos que sejam relacionados à sua área de formação, quanto optar por aprender novos idiomas ou desenvolver habilidades importantes para o mercado de trabalho.

Estágio não obrigatório

Os estágios estão entre as atividades complementares mais conhecidas e procuradas dos alunos de graduação. Mesmo quando a realização não é obrigatória, a experiência de trabalhar na área de formação é muito importante para que, além de conhecimentos técnicos, o estudante também vivencie o dia a dia na profissão.

Além de ter uma remuneração, o estagiário pode sair da faculdade já empregado, pois muitos programas de estágio oferecem a oportunidade de efetivação para os recém-formados.

Por que vale a pena fazer essas atividades na graduação?

Se você ainda tem dúvidas sobre as vantagens de investir em atividades complementares, olha só alguns bons motivos para mudar de ideia!

Avaliação das possibilidades de carreira

Com as atividades complementares, você consegue ter uma visão mais ampla da sua área de formação. Com isso, dá para avaliar as possibilidades de carreira e, desde a graduação, moldar o seu perfil para alcançar os seus maiores objetivos profissionais. 

Desenvolvimento de habilidades e competências

Atividades como estágio, voluntariado e intercâmbio são muito ricas para que a sua formação também envolva o desenvolvimento de habilidades. Mais do que um diploma, você sairá da faculdade com muita experiência na bagagem, contatos, melhor relacionamento interpessoal, maior capacidade de gestão de tempo e muito mais!

Perfil mais atrativo para o mercado de trabalho

A Global Talent Trends 2020, uma pesquisa feita pelo LinkedIn, revelou que 92% dos recrutadores de grandes empresas acreditam que as habilidades socioemocionais importam até mais do que os conhecimentos técnicos dos candidatos. Entre as qualidades mais procuradas no mercado estão a criatividade, a gestão de tempo e a colaboração.

Essas são características que a sala de aula nem sempre é capaz de desenvolver. Por isso, as experiências com atividades complementares são tão relevantes na gestão de carreira quanto um bom desempenho acadêmico.

Como conseguir cumprir as atividades complementares?

Agora, você pode estar pensando: “Tudo isso é lindo na teoria mas, na prática, como eu vou conciliar tanta coisa com as matérias obrigatórias?”. Realmente, só os conteúdos da grade de disciplinas já podem deixar qualquer graduando à beira da loucura.

Por isso, as nossas dicas são: organização e planejamento! Essas são palavras de ordem para conseguir equilibrar a grade curricular e as atividades complementares. Veja só alguns hábitos para adotar já no próximo semestre:

  • tenha uma agenda com seus horários de aula, prazos de entrega de trabalhos e datas de prova para se organizar melhor;
  • não deixe as leituras acumularem e evite deixar atividades e trabalhos acadêmicos para última hora;
  • desenvolva métodos que ajudem a otimizar seus estudos, como criar mapas mentais, fazer resumos ou revisar as anotações no fim de semana;
  • use a internet a seu favor, por exemplo, instalando aplicativos que ajudem a gerenciar o seu dia a dia e seguindo as redes sociais da faculdade para ficar de olho em eventos, oportunidades de estágio etc.;
  • participe das entidades estudantis da sua faculdade, como grêmios acadêmicos e atléticas — além de serem ótimos ambientes para se integrar com os colegas, você pode descobrir excelentes oportunidades de atividades complementares;
  • todo início de semestre, faça um planejamento amplo dos principais projetos em que você quer se envolver e das atividades obrigatórias, para que possa se programar ao longo das semanas;
  • não se esqueça do lazer! Mesmo que tenha muitos afazeres da graduação para conciliar, um pouco de descanso e diversão no tempo livre ajudam a manter a mente saudável e o ânimo para encarar as obrigações.

Por fim, se o curso exige um número mínimo de horas de atividades complementares, não deixe para última hora, hein? Divida essa quantidade pelo número de semestres que ainda faltam para que os afazeres sejam distribuídos. Caso contrário, você pode chegar ao ponto de ter mil coisas para conciliar com um TCC em andamento.

O conteúdo foi útil? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais para que seus colegas também fiquem por dentro do assunto!

Você também pode gostar